CANAL DA AÇÃO CULTURAL

Loading...

segunda-feira, 14 de outubro de 2013

Entre o espanto e a gracinha - A cultura de massa atravessando a Escola.




Em busca do meio  termo entre o excesso de pudor dos setores conservadores cristãos e os interesses amorais(1) do mercado, apoiado por amplos setores da classe politica conservadora e de direita, detentora da quase totalidade das concessões de rádio e televisão. Por incrível que pareça,  setores políticos falso moralistas,  paradoxalmente apoiados pela maioria dos cristãos mais tradicionalistas.

(1) O que é Amoral:

Amoral é um adjetivo de dois gêneros que classifica alguém sem noção de moral , ou seja, não é contra nem a favor dos princípios da moralidade.

Amoral é aquilo que está fora da moral, ou seja, é aquilo que é neutro a nível de ética.  Em um sentido prático, um indivíduo amoral vive sem as condições subjetivas exigidas para que os seus atos ou juízos sejam morais.

O estado ou qualidade de uma pessoa sem obrigações morais ou princípios éticos é designado como amoralidade.



Desde que comecei a trabalhar no Jardim uma das questões que mais me chama a atenção é a beleza das meninas do lugar. A despeito de uma série de limitações e dificuldades a que são submetidas, inclusive o preconceito social.
Da mesma maneira, me chama a atenção a inteligência e a dignidade de muitas delas. Por causa disso tenho sempre conversado com as belas, sobre o quanto é legal ter a companhia de meninas e futuras mulheres que investem energia e disposição em mais conhecimento, respeito e amor próprio.
Digo isso, a propósito do que vejo/sinto em relação aos pensamentos e atitudes de muitas belas com relação a vulgaridade e banalização do corpo, as muitas que se deixam influenciar por aquilo que dizem a maioria das músicas e novelas de sucesso e que não se dão conta dos prejuízos que já sofrem e sofrerão ainda mais, a médio e a longo prazo. 
Inclusive estas “gurias” estarão mais sujeitas a sofrer situações de vexame, humilhação e constrangimento porque atrairão mais facilmente cafajestes ou canalhas, como aqueles que se relacionaram e estão expondo muitas garotas em imagens pornográficas via internet.
 
É fato, desde a juventude aprendi a diferenciar pornografia ou vulgaridade de erotismo e sensualidade. As meninas e mulheres que sabem a diferença entre uma e outra sabem atrair a atenção e admiração, muitas vezes, vestidas da cabeça aos pés, elas sabem ser eróticas e sensuais com o olhar, com o gingado do andar, com o tom e modulação da voz e etc..
As meninas e mulheres que sabem disso, são até “soltinhas” ou “liberadas” a quatro paredes, mas dificilmente atrairão rapazes e homens sem preparo psicológico e emocional para lidar com esta realidade.
O QUE ME LEVOU A FAZER ESTA REFLEXÃO ACIMA , FORAM AS BELAS QUE SE APRESENTARAM NO FINAL DA FESTA DAS CRIANÇAS NO JÚLIA TELES. DIGA-SE DE PASSAGEM, COM O MEU AVAL, POR NÃO FAZER IDÉIA DO ESTILO COREOGRÁFICO. ESTAS MENINAS PARA FAZER ISSO, TEM COMO REFORÇO A PROGRAMAÇÃO DA MAIORIA DAS RÁDIOS COMERCIAIS E OS SHOWS COM COBRANÇA DE INGRESSOS OU GRATUÍTOS, PATROCINADOS POR EMPRESAS DE COMUNICAÇÃO, REFORÇADOS PELOS CARNAVAIS, SÃO JOÃO E FESTAS DE PADROEIROS (AS), PATROCINADOS TAMBÉM PELO PODER PÚBLICO.
POR CAUSA DISSO, ME SINTO AINDA MAIS COMPROMETIDO EM BUSCAR RECURSOS HUMANOS, MATERIAIS E FINANCEIROS PARA INVESTIR EM UM TIPO DE ARTE QUE POSSIBILITE TAMBÉM MOSTRAR A BELEZA E A SENSUALIDADE DAS MENINAS FLORES DO JARDIM, MAS SEM QUE ELAS APAREÇAM COMO VULGARES, SEM VERGONHA OU CACHORRAS.
A propósito, vale a pena trazer uma das conclusões do relatório do Segundo Fórum Comunitário de Politicas Públicas no Conj. Jardim (2003). “O que queremos atingir através do resultado do trabalho com Arte?
• Queremos que nossas crianças saibam valorizar a nossa cultura, que elas tenham historia para contar, para que não sejam futuramente jovens desregrados, adultos sem criatividade, e sejam vozes que protestem contra o que a mídia joga aos seus filhos: danças que não constroem, não ensinam, nem os estimulam a pensar, não incentiva a sua criatividade. Para que não se construam pessoas sem objetivos, crianças que são concebidas, não sejam rejeitadas desde o ventre e para que vidas não mais se destruam , para que assim cada um como o beija flor, faca a sua parte.
• A arte e uma maneira de retirar as pessoas das ruas, uma expressão de identidade de cada um. Uma maneira de resgate social, revelando um novo olhar sobre as relações do individuo na sociedade. E preciso despertar a sensibilidade para recuperar a humanidade do ser para com outro ser e com o universo.” 
 
Zezito de Oliveira - Educador e Produtor Cultural.

 Para esquentar o debate, leia:  
O patrulhamento sobre o erotismo juvenil. AQUI  
Especialistas defendem educação sexual contra pornografia. AQUI 
 O chão e a gira. AQUI 
 A babá eletrônica. AQUI  
 A escola dos meus sonhos. AQUI
 

 

Um comentário:

israel alves de souza disse...

Esse povo precisa de Deus. Só Ele pode mudar essa situação.