CANAL DA AÇÃO CULTURAL

Loading...

sábado, 28 de fevereiro de 2015

Malucos de Estrada - parte II - Cultura de BR




 Os “malucos de estrada” são os protagonistas/atores sociais de uma expressão cultural brasileira que apresenta características singulares, comportando uma cosmovisão, práticas, estilos de vida, fazeres e saberes que conferem suas matizes características. No entanto, nos últimos quarenta anos sua existência tem sido folclorizada ou mesmo criminalizada pela sociedade e instituições públicas devido a sua invisibilidade e a falta de reconhecimento por parte dos gestores da cultura.

Em “Cultura de BR”, desfolclorizamos o “hippie” brasileiro e promovemos uma primeira abertura sobre alguns dos conceitos que norteiam a cultura da “malucada”. Pedras de maluco, mangueios, mocós, o sentimento de família, os códigos, a maluquês misturada com a lucidez, o sentido e a direção de uma busca libertária pela expressão genuína do ser interno que habita em cada um de nós.

Curtiu? Colabore com a continuidade desse projeto:



Algumas observações sobre o documentário "Malucos de Estrada II - Cultura de BR". Pois é, pra quem não percebeu, nossa trilogia vai começar pelo meio.
É um filme que existe por si só, mas, como parte de uma obra, seu entendimento se amplia no conjunto, logo, cuidado com conclusões precipitadas acerca do que será mostrado. Acreditamos que o vídeo suscite mais perguntas do quê respostas. Se ao terminar de assistir, essa for a principal impressão, cremos que cumprimos o nosso propósito.
Este vídeo poderia ter mil formas, mil narrativas. Isso se deve a diversidade do universo cultural da malucada e também a enorme quantidade de material registrado. Nosso intuito foi tentar conciliar os múltiplos interesses em jogo. Desde a necessidade de gerar um material que forneça subsidio para futuras pesquisas e um reconhecimento como manifestação cultural do movimento por parte da institucionalidade, passando pela importância da malucada se reconhecer no filme, pensamos também na expectativa dos colaboradores em assistir um bom filme e outras sutilezas que estão em jogo.
No mais, dois salves importantes:
1- Não tivemos como traduzir e legendar o vídeo. Vamos precisar de uma força colaborativa pra concluir essa parte, se você pode ajudar, entre em contato pelo e.mail belezadamargem@gmail.com .
2- Qualquer um pode produzir um lançamento do filme em sua cidade, cineclube, casa, praça. Atualmente o diretor Rafael Lage está em São Paulo e se dispõe a comparecer e realizar um bate papo com o público, caso seja convidado, mas infelizmente não temos como custear o transporte e estadia do mesmo para outras cidades.

sexta-feira, 27 de fevereiro de 2015

Comunica SCDC #04 - Secretaria da Cidadania e da Diversidade Cultural

novo mad mimi head-02
novo mad mimi scdc-05
Nessa terça-feira, 24 de fevereiro, a Secretaria da Cidadania e da Diversidade Cultural (SCDC) realizou o primeiro #ParticipaSCDC.

10525849 679019115554834 4339114114144375075 n
Interação ao vivo mobilizou agentes culturais de todas as regiões do país.
A iniciativa de debater ao vivo questões sobre políticas públicas para a cultura mobilizou mais de 500 pessoas. Durante o #ParticipaSCDC a Secretaria respondeu questões sobre projetos, cultura digital, questão indígena, orçamento, editais de Pontos e Pontões de Cultura, ações da secretaria para a comunidade LBGT, seu planejamento de ações, entre outros.
A transmissão ao vivo contou com a participação da secretária Ivana Bentes, do Diretor de Cidadania e Diversidade Cultural Alexandre Santini e da equipe da SCDC.
Confira o vídeo produzido pelo MinC e a cobertura completa.

novo mad mimi scdc-02
O #ParticipaSCDC foi também repercutido na imprensa. Confira as matérias:

Captura de tela de 2015-02-27 11 38 25

O GLOBO

"Quando há muitos problemas com a lei, é preciso mudá-la. Com a Lei Cultura Viva vai haver um cadastramento e um mapeamento de todos os pontos de cultura. Será um embrião de uma rede social para que esses pontos possam se ver, trabalhar juntos e discutir políticas públicas.", afirma Ivana Bentes.
Trecho da matéria publicada nesta terça-feira (24/2) pelo portal O Globo
Leia na íntegra.


Captura de tela de 2015-02-27 14 23 32

REVISTA FÓRUM

O chamado da SCDC para sociedade civil na gestão das políticas culturais desenvolvidas é destaque na matéria publicada pela Revista Fórum nesta terça-feira (24/2). A matéria traz ainda a articulação em rede e o fomento da Mídia Livre como compromissos assumidos pela secretária Ivana Bentes.
Leia na íntegra.
novo mad mimi scdc-04  1

Durante dois dias de intensos debates, o Grupo de Trabalho Cultura Viva participou de mais uma etapa para a regulamentação da lei que institui a Política Nacional de Cultura Viva. Questões como os critérios para a certificação simplificada dos Pontos de Cultura, prestação de contas simplificadas, o formato do Termo de Compromisso Cultural (TCC) e a possibilidade de que instituições públicas de ensino superior sejam certificadas como Pontões de Cultura foram alguns dos temas debatidos.
150225 OK sin titulo 10860
Grupo de Trabalho dá mais um passo para definir novas regras dos Pontos de Cultura

O GT possibilita o encontro presencial - e também online, já que todas as discussões foram transmitidas ao vivo - de membros do Conselho Nacional de Políticas Culturais do Ministério da Cultura, da Comissão Nacional de Pontos de Cultura, de orgãos do controle da união e do ministério, além de gestores da rede de Pontos e Pontões de Cultura estaduais e municipais.
150225 OK sin titulo 10906

150226 OK DF 11885

O encontro representa a disposição da secretaria em envolver diferentes agentes para participar do processo de regulamentação da primeira política de Estado para a área da cultura no Brasil.
Confira a cobertura completa.

QUEM PARTICIPOU

Com o objetivo de envolver e aproximar ainda mais as pessoas interessadas em debater as politicas publicas para o setor cultural, a SCDC transmitiu ao vivo toda a discussão do GT. Gestores públicos estaduais e municipais e Pontos de Cultura acompanharam a transmissão e interagiram pelos comentários. Assista aos debates na íntegra:






Captura de tela de 2015-02-27 13 57 10
Debate GT Cultura Viva 25/02

Captura de tela de 2015-02-27 11 41 30
Debate GT Cultura Viva 26/02 - Parte 1

Captura de tela de 2015-02-27 11 41 36
Debate GT Cultura Viva - Parte 2

***

MERCADO SUL VIVE


1010116 679769782146434 398054586333948266 n
Ocupação cultural agrega artistas, produtores e fazedores em Taguatinga (DF)
Como atividade cultural da programação, os participantes do GT Cultura Viva e servidores da SCDC visitaram o movimento Mercado Sul Vive, ocupação cultural em Taguatinga (DF).
Depois de um percurso pelos empreendimentos solidários e iniciativas socioculturais da região, o grupo acompanhou a programação do sarau e uma série de apresentações culturais com artistas locais. Uma roda de conversas também foi realizada, quando o movimento que ocupa a região apresentou seus princípios, objetivos e reivindicações. A Secretária Ivana Bentes acompanhou o debate e se dispôs a participar do Grupo de Trabalho instituído no governo para a negociação do caso.
Confira as fotos da visita e saiba mais sobre a ocupação.
novo mad mimi scdc-03

Seguindo a Caravana Cultura Viva e a visita da SCDC a Pontos e Pontões de Cultura por todo Brasil, hoje Alexandre Santini chega em São Paulo para participar do Encontro de Planejamento do Fórum Permanente de Pontos de Cultura.
10311775 755973931167726 5721108421638350327 n
Os debates começam hoje (27/2) em Campinas (SP) e contam também com a presença de 15 representantes dos Fóruns Regionais, 40 Pontos de Cultura, da autora da Lei Cultura Viva do Estado de São Paulo, Deputada Estadual Leci Brandão, e do vereador Gustavo Petta, autor da Lei Cultura Viva Municipal de Campinas.
O Encontro acontece até o dia 1º de março e será realizado na Câmara Municipal de Campinas, na Casa de Cultura Roseira e na Casa de Cultura Tainã. Saiba mais.

novo mad mimi scdc-01

SCDC amplia aproximação com Povos Indígenas e visita memorial em Brasília


photo114721858287417452
Povos Indígenas podem ganhar edital próprio e revitalização de seu memorial em Brasília
Em visita ao Memorial dos Povos Indígenas em Brasilía a SCDC firmou o compromisso com novas ações de valorização e fomento da cultura indígena. Além do edital específico para Pontos de Cultura Indígenas a ser lançado nos próximos meses, a Secretaria também passa a visualizar o espaço projetado por Oscar Niemeyer como uma possibilidade de extensão para as atividades com povos indígenas desenvolvidas no DF. O encontro entre a Secretaria Distrital de Cultura, a SCDC e o Cacique Alvaro Tukano, gestor do memorial, levantou questões prioritárias, como a manutenção e revitalização do espaço localizado no eixo monumental de Brasília.
Saiba mais.

photo114721858287417464

150220 OK sin titulo 09170
scdc-09  1

Unesco abre edital para a Diversidade Cultural

6th Call for Funding

O Edital 2015 para a seleção de programas e projetos que poderão ser beneficiados pelo Fundo Internacional para a Diversidade Cultural (FIDC) permanece aberto até o dia 15 de abril. O principal objetivo do Fundo é apoiar ações que facilitam a elaboração e a implementação de políticas e estratégias de acesso à Cultura, bem como o fortalecimento das infraestruturas institucionais.
As inscrições podem ser feitas apenas em inglês ou francês.
Saiba mais.
novo mad mimi scdc-07

Nota de Pesar

Nós da Secretaria da Cidadania e da Diversidade Cultural e do Comitê Técnico de Cultura de Lésbicas, Gays, Bissexuais, Travestis e Transexuais do Ministério da Cultura, registramos nosso pesar pela morte da representante da Secretaria de Políticas para as Mulheres - Lurdinha Rodrigues, ocorrido no dia 14 de fevereiro de 2015 .
A trajetória de Lurdinha Rodrigues e sua atuação no Comitê Técnico contribuiu significativamente para o fortalecimento da agenda cultural LGBT na SCDC, no MinC e em outros espaços institucionais, pelo que lamentamos profundamente seu falecimento e a interrupção de suas contribuições no desenvolvimento da luta pela garantia dos direitos e da expressão artística e cultural da população LGBT, visando a construção de uma sociedade mais justa e igualitária.
Sentiremos muito a sua ausência na luta contra a lesbofobia, homofobia e transfobia e manifestamos, por meio desta, nossa solidariedade aos familiares e amigos, desejando-lhes conforto neste momento de grande tristeza para todos nós.
***

Acesse as outras edições do nosso boletim:

Comunica SCDC #01

Comunica SCDC #02

Comunica SCDC #03

facebook instagram twitter
1px
©2015 Secretaria da Cidadania e da Diversidade Cultural do Ministério da Cultura | SCS, Quadra 09, Lote C Torre B – 9º andar. Ed. Parque Cidade Corporate. CEP: 70308-200,

quarta-feira, 25 de fevereiro de 2015

Mostra Cinema e Direitos Humanos na Escola Estadual Júlia Teles.


 


O Ponto de Cultura Juventude e Cidadania/Ação Cultural foi escolhido para ser um dos pontos de exibição da iniciativa Democratizando  - Mostra Nacional Cinema e Direitos Humanos.
Esta ação é uma ramificação da Mostra Cinema e Direitos Humanos na América do Sul, cujo objetivo  é estabelecer um diálogo franco e direto com o povo brasileiro sobre seus direitos fundamentais. Mais do que assistir a filmes, trata-se de um convite ao debate, à reflexão, para construirmos juntos um país que valorize a diversidade e garanta o respeito aos Direitos Humanos.
A atividade  será realizada em parceria com a Escola Estadual Júlia Teles, localizada no Conjunto Jardim, município de Nossa Senhora do Socorro. 
Antes da apresentação dos filmes da mostra, também será apresentado curtas, produzidos pelo Ponto de Cultura Juventude e Cidadania e pelo Projeto Inventar com a Diferença, resultado das oficinas de audiovisual realizadas com alunos (as) da Escola Júlia Teles.
O acesso para assistir a mostra  Democratizando  - Cinema e Direitos Humanos é totalmente gratuito e conta com uma seleção de filmes em formato digital, com  opção de  utilização de closed caption e audiodescrição, além de legendas para cinco idiomas: árabe, espanhol, inglês, francês e mandarim.
“A Vizinhança do Tigre”, de Affonso Uchoa; “Cabra Marcadopra Morrer”, de Eduardo Coutinho, “Pelas Janelas”, de Carol Perdigão, Guilherme Farkas, Sofia Maldonado e Will Domingos; “Que Bom te Ver Viva”, de Lúcia Murat; “Rio Cigano”, de Júlia Zakia; e “Sophia”, de Kennel Rógis são os filmes que compõem a mostra.
A Ação Cultural foi criada em 2004, porém, antes disso, o grupo fundador já se organizava como um coletivo de produção cultural. No que se refere à área geográfica, a principal base de atuação é o Conjunto Jardim (município de Socorro), onde é realizado oficina de audiovisual com estudantes de escolas públicas. 
Através destas oficinas,  é buscado a  formação de um  olhar voltado para a necessidade de mostrar como pensa e vive a juventude que mora na periferia. Um novo olhar assumido pelos jovens participantes da oficina e por aqueles  que assistem ao resultado final do trabalho. Outro objetivo é alargar o campo de visão dos meninos e meninas envolvidos na oficina  no que se refere a valores estéticos e éticos, buscando transformar a realidade de exclusão e invisibilidade em que vivem.
Além disso,  a Ação Cultural realiza iniciativas culturais itinerantes em outros bairros de Aracaju e em outros municípios da região metropolitana.   Uma das atividades é a exibição de produções de longa metragem, curtas e animação  através do formato cineclube, realizado de forma esporádica em escolas, na sede da Ação Cultural e em salões comunitários de igrejas.

 A exibição acontecerá em março e as datas e horários serão divulgados brevemente..

PRODUÇÃO DE CURTAS DO PONTO DE CULTURA & PROJETO INVENTAR COM A DIFERENÇA.
 


terça-feira, 24 de fevereiro de 2015

SINTESE abre novas turmas para curso de formação de Teatro do Oprimido


Escrito por sintese Ligado . Publicado em SINTESE Cultural
O SINTESE abre inscrições para as oficinas continuadas de palconalutawebpalconalutawebTeatro do Oprimido do Projeto “Palco na Luta”, , voltado para filiados e filiadas  interessados em aproximar a comunidade da escola através do teatro. 
 
INSCREVA-SE JÁ
 
A proposta é criar um espaço de diálogo teatral entre os moradores, alunos e professores sobre problemas vivenciados no cotidiano da comunidade local e/ou nas escolas, como violência doméstica, gravidez precoce ou discriminação social. 

A Estética do Oprimido enriquece o diálogo, que se baseia, para além da dimensão verbal, em dimensões sensoriais vastas, contribuindo para percepção da realidade por diferentes ângulos, por diferentes imagens do cotidiano. Construímos então um espaço político que se expressa através de cenas teatrais, danças, músicas, esculturas, pinturas e outras formas de expressão artística, que contribuem para a compreensão crítica e transformação da realidade escolar e comunitária.

O projeto acontecerá durante os sábados. Durante dois sábados no mês os professores estarão em curso teórico-prático em Aracaju, poderão trabalhar com a metodologia em seu contexto escolar e/ou pessoal, com o intuito de ampliar o olhar para as opressões vividas diariamente construindo produções artísticas que serão compartilhadas com a comunidade e com as escolas através de eventos e apresentações em espaços públicos, culminando em um Festival Estadual da Estética do Oprimido, com Teatro-Fórum, Exposição de Esculturas, Poesias e Pinturas, que acontecerá durante o Congresso Estadual do SINTESE em outubro de 2015.

Certificação: Os certificados serão emitidos pela UNIVERSIDADE FEDERAL DE SERGIPE

Breve Currículo dos Professores:

Aldo Rezende de Melo
Ator e Diretor Teatral, Psicólogo, Professor de 
Yoga, Especialista em Psicodrama, Formado pelo 
Centro de Teatro do Oprimido do RJ

Helen Oliveira Fontes Aragão
Psicóloga, Atriz e Multiplicadora em Teatro do 
Oprimido pelo CTO-Rio, Professora de Yoga, 
Especialista em Psicodrama.
OBJETIVO GERAL 
Criar uma rede articulada dos professores que utilizam o Teatro do Oprimido como ferramenta de comunicação e busca de alternativas concretas para os problemas reais da comunidade, facilitando assim as condições para o empoderamento popular, para o protagonismo social.

OBJETIVOS ESPECÍFICOS
Desenvolver formas alternativas e criativas de comunicação entre os professores, familiares e estudantes da rede pública de ensino, especialmente no que tange a compreensão e resolução de conflitos sociais. 
Criar um momento coletivo de vivência, formação, solidariedade e ludismo entre os participantes do curso de teatro.
METODOLOGIA 
Introdução Teórica: Origens e fundamentos do Teatro do Oprimido
Arsenal básico de jogos e exercícios
Técnicas de Imagens, Sons e Palavras.
Contar, escolher e improvisar histórias escolhidas.
Construção de cenas de Teatro-Fórum a partir de temáticas cotidianas.
Apresentações públicas das cenas dos grupos em eventos para diálogo com a sociedade.>

Ivana Bentes convoca coletivos para serem cogestores de políticas culturais


fevereiro 24, 2015 17:09
Ivana Bentes convoca coletivos para serem cogestores de políticas culturais
A secretária do MinC, em hangout com internautas, defendeu a rearticulação e a ampliação dos Pontos de Cultura, e ressaltou importância de trabalhar lado a lado com os articuladores culturais; segundo ela, fortalecer a mídia livre é outro objetivo da gestão

Por Redação 

Após pouco mais de um mês no cargo, a secretária de Cidadania e Diversidade Cultura do Ministério da Cultura, Ivana Bentes, já está se mobilizando para rearticular e ampliar a rede dos Pontos de Cultura – a maior política em âmbito cultural já implementada no país. Em hangout com internautas, realizado nesta terça-feira (24), a secretária admitiu uma certa inércia das gestões anteriores do MinC em relação ao diálogo com os articuladores culturais, mas garantiu que eles serão fortalecidos e que novos serão contemplados pelos editais.
De antemão, a secretária já anunciou alguns editais que o Ministério da Cultura vai lançar em 2015: são os dos Pontos de Cultura Indígena, Pontos de Mídia Livre, Cultura de Redes, Acessibilidade Cultural, Cultura LGBT, além da retomada do edital de Interação Estética.
De acordo com Ivana, a ampliação da rede de Pontos de Cultura no país será possível graças à implementação da Lei de Cultura Viva, que vai desburocratizar todo o processo cadastral e de prestação de contas dos grupos e coletivos.
“Com a Lei de Cultura Viva a gente vai começar um processo muito importante que é um cadastramento e um mapeamento dos pontos de cultura. Não só os que já ganharam recursos, mas vamos começar a caravana para uma campanha de auto declaração dos pontos de cultura. Isso é uma demanda histórica daqueles que nunca ganharam um edital do Ministério”, explicou.
Ela ressaltou ainda que quer que os Pontos de Cultura atuem como cogestores na criação e implementação de políticas para a área.“A gente quer que os Pontos de Cultura voltem a ser os formuladores da política pública, com proposta de ações, de mapeamento das novas redes.”
Para isso, a professora da UFRJ pretende fazer uma grande caravana pelo Brasil para contemplar todos aqueles fazedores de cultura – desde aldeias indígenas, quilombolas, até coletivos de cultura de rede – que não são reconhecidos hoje como Pontos.  Além disso, a Lei de Cultura Viva, segundo ela, permitirá que os coletivos culturais se autodeclarem Pontos de Cultura. “Essa vai ser uma secretaria itinerante e nômade”, afirmou.

Mídia Livre e articulação em rede
Durante o papo com os internautas, Ivana destacou a importância de fortalecer políticas públicas voltadas para a mídia livre e os veículos de mídia independente como forma também de fomentar as narrativas no próprio âmbito da cultura.
“As ações de mídia livre são estratégicas para a Cultura. Quem produz cultura, também produz comunicação. O desafio é que mais pessoas, em especial a juventude, se aproprie das tecnologias. Também estamos pensando muito nas políticas de licenciamento. Com certeza, Mídia Livre e Cultura Digital terão espaço de destaque em nossa gestão”, pontuou.
Indo além, a secretária do MinC falou sobre a necessidade de se pensar em políticas para a articulação em rede entre os coletivos, o que, segundo ela, é fundamental para a efetividade da produção cultural no momento em que vivemos.
“A gente quer que o conhecimento e a cultura circulem (…) Juntos é sempre mais barato e rápido. Os grupos que se articulam em rede efetivamente conseguem um tipo de articulação política e de fazer cultural que produz diferença hoje. A gente tá num momento tecnológico que facilita a articulação em rede”, explicou.

 #‎ParticipaSCDC‬ ‪#‎ParticipaçãoSocial‬ Como estão os estudos e o investimento financeiro para a implantação de uma plataforma de gestão e capacitação para os Pontos de Cultura, aonde poderá ser realizada lançamentos de documentos e dados, além de ser um espaço de capacitação on-line no campo da gestão cultural? Essa proposta foi incluída como demanda nas proposições apresentadas pela comissão estadual dos pontos de cultura de Sergipe na Teia 2014 em Natal. (Zezito de Oliveira - Aracaju-SE)

#‎ParticipaSCDC‬ ‪#‎ParticipaçãoSocial‬ Como está o diálogo com o MEC para ampliar e consolidar a parceria com o MINC através do Mais Cultura nas Escolas e Mais Cultura nas Universidades? (Zezito de Oliveira - Aracaju-SE)

Confira a íntegra do hangout com Ivana Bentes.