VideoBar

Este conteúdo ainda não está disponível por conexões criptografadas.

segunda-feira, 23 de novembro de 2015

Como foi a 4ª Sessão do Cine-Realidade que apresentou o filme Maré - Nossa História de Amor.

Cine Realidade na Escola Estadual Júlia Teles, parceria do projeto Rap Identidade Cultural e a Ação Cultural. Os  filmes apresentados tem como contexto,  a realidade que os jovens de periferia enfrentam no dia a dia, incluindo a dança,o rap,as rádios comunitárias, e teatro,entre outros elementos que podem mudar a vida desses jovens. O Cine-Realidade não vem apenas para mostrar uma coisa óbvia, ele vem pra gerar um dialogo entre os jovens sobre o valor de um trabalho educativo e cultural  dentro dessas periferias.

Em sua 4ª sessão no dia 07 de novembro último, o Cine-Realidade apresentou  o filme Maré, Nossa História de Amor e que levou os jovens presentes a uma reflexão impressionante sobre o filme e a realidade em que se encontram, um  dos presentes,  até sugeriu a mudança do nome do filme para "Conjunto Jardim - Nossa História de Amor",  segundo ele,  sua realidade estava bem presente naquela história.

Texto escrito por Maíra Ramos - Jovem ativista, fotográfa e cineclubista, com formação básica em audiovisual através da Ação Cultural/Ponto de Cultura Juventude e Cidadania e Colégio Estadual Costa e Silva. É secretária da Ação Cultural e integra o coletivo de secundaristas do Levante Popular da Juventude. 
 
Fotos da 4ª sessão do Cine Realidade em 07/11, com o filme Maré- Uma História de Amor. O centro da trama envolve o papel social da dança em meio a guerra do tráfico de drogas por controle e manutenção de território na comunidade da Maré, no Rio de Janeiro.

“Maré, Nossa História de Amor, conta a história de Analídia e Jonatha, dois jovens moradores da Maré, favela carioca que das palafitas dos anos 60 passou por diversos planos de urbanização chegando hoje a uma população de cerca de 140 mil pessoas. A Maré é dividida hoje entre dois grupos que dominam o tráfico de drogas e que talvez se odeiem mais do que à própria polícia. Quem mora num lado da comunidade não pode ter contato com o outro, sob pena de punição. Analídia é prima do chefe do tráfico de um dos lados e Jonatha é amigo de infância do chefe do outro lado. Ambos estudam num grupo de dança patrocinado por uma ONG, que fica exatamente no meio dos dois grupos e é dirigido pela ex-bailarina Fernanda (Marisa Orth).”
 

 
 Fotos: Maíra Ramos

Quem quiser pode conferir o filme no youtube ou adquirir uma cópia de melhor qualidade  pesquisando na internet, como no site mercado livre, por exemplo.



Nenhum comentário: