O QUE É E O QUE FAZ A AÇÃO CULTURAL

 Missão: Apoiar e realizar iniciativas voltadas para o desenvolvimento social, artístico e cultural das comunidades. "Pés fincados em Sergipe a antenas ligadas no melhor que a tradição nos deixou, linkado ao melhor da nossa capacidade de invenção na contemporaneidade. Tudo isso conectado ao pensamento e a ações glocais. (pensando global e agindo local) Ponto de Cultura desde 2011. 


Relatório das atividades da Ação Cultural no ano de 2013.
1 - OFICINA DE AUDIOVISUAL NA SEDE DA AÇÃO CULTURAL  Aos sábados. Janeiro a março de 2013
Público atingido – 20 pessoas
Evento gratuito realizado com recursos públicos resultantes do convénio 04-2011 – Secretaria de Estado da Cultura e Ministério da Cultura.

2 - OFICINA DE DANÇA MODERNA NA ESCOLA JÚLIA TELES. Aos sábado e em um dia na semana. Janeiro a maio de 2013
Público atingido – 40 pessoas
3 - GRUPO DE AUTO-CONHECIMENTO (PSICODRAMA) - COM AS MENINAS DA OFICINA DE DANÇA. Sempre as quartas-feiras. Janeiro a maio de 2013
Publico atingido – 10 pessoas
Trabalho voluntário desenvolvido pela psicóloga Maria Virginia, em parceria com a Escola Estadual Júlia Teles que cedeu espaço físico.
A oficina de artes cênicas no Conj. E. Gomes produziu frutos bem  significativos em termos artísticos/estéticos e atrai um grande número de adolescentes, chegando a extrapolar a meta estabelecida de 20 individuos
A oficina de artes cênicas no Conjunto Jardim produziu frutos bem significativos em termos artísticos/estéticos e tem ampliado o numero de adolescentes, chegando depois de algum tempo a atingir o número da meta estabelecida de 20 individuos.
O Ponto de Cultura está construindo uma relação de diálogo e de fortalecimento da produção artística de qualidade no seio da escola e na comunidade, em especial mostrando a dança como uma atividade educativa, cidadã, com atenção profissional, em contraposição aquilo  que a maioria dos adolescentes conhecem e praticam, como  pagode, arrocha e outras expressões da cultura de massa.
Percebemos dentro das escolas, onde acontece as atividades da oficina de artes cênicas, o começo da mudança acerca da necessidade de priorizar investimento na qualidade da produção estética de crianças e jovens. Isso decorre do profissionalismo dos oficineiros, da qualidade do material de figurinos, do aparelho de som e o acompanhamento pedagógico. Em muitas escolas, a dança e outros tipos de atividades culturais não recebem a mesma atenção por parte dos profissionais da educação. Mesmo se querem que isto aconteça,  nem sempre oferecem as condições adequadas.
O inicio das atividades do Ponto de Cultura atraiu a atenção de uma psicóloga e de uma estudante da mesma área,  que passou a colaborar de forma voluntária com o Ponto de Cultura.
O Ponto de Cultura, também foi sondado para participar como parceiro em um projeto encaminhado para o prêmio interações estéticas e participou  da organização em Sergipe de um evento relativo ao dia internacional da Animação (28 de Outubro)convidado pela Associação Brasileira de Cinema de Animação.
O Ponto de Cultura participa da Caravana Cultural  Luiz Gonzaga Vai à Escola, projeto da Ação Cultural, selecionado pela Funarte,  através da apresentação dos (as) aprendizes da oficina de dança e da cessão do equipamento de som e do aparelho de projeção digital. Da mesma maneira cooperou na realização do projeto II Jornada Ecologia e Espiritualidade, projeto da Ação Cultural, selecionado pela Cáritas Brasileira.
Algumas mães tem participado ativamente das atividades do Ponto de Cultura em especial quando tem apresentações e demonstram interesse na participação dos filhos nas atividades.

2 - ALMOÇO CULTURAL PARAENSE
 2 de junho de 2013- Local: Ateliê da Irene no bairro Siqueira Campos
Como tem acontecido há cerca de 10 anos,  o almoço cultural paraense reúne  pessoas envolvidas nos círculos de atividades da Ação Cultural. (danças circulares, ponto de cultura, caravana Luiz Gonzaga, jornada ecológica, sarau multicultural, redes sociais digitais).
A comida e a sobremesa foram fartas e todos puderam repetir a dose, sinal da delicia que estava. Como nos outros anos, a chef de cozinha Angelina Magalhães foi a responsável pela produção gastronômica.
Um momento forte e diferente foi a primeira  apresentação pública dos audiovisuais produzidos pela primeira turma da oficina de iniciação ao audiovisual, realizada no ano de 2012.
Evento gratuito com pequenas despesas rateadas com os integrantes da Ação Cultural e colaboração  solidária no transporte de equipamentos e de pessoas.
Público atingido - 13 pessoas 

3 – SARAU MULTICULTURAL - REVISITANDO AS UTOPIAS
24 de julho de 2013 -  Clube Flamengo Circulista - Siqueira Campos.  A programação cultural teve inicio às 19h e contou com a  apresentação do grupo de aprendizes de dança moderna do Ponto de Cultura Juventude e Cidadania, danças circulares regionais com o facilitador Maxivel Ferreira, apresentação de vídeos e uma feira de troca e venda de livros, CD’s e DVD’s.
O debate com o tema, “Da juventude de ontem e de hoje, que utopias nos movem”, foi facilitado pelo ambientalista Edmilson Araújo e pela professora da UFS Sanádia Gama. Edmilson Araújo participou da construção do PT, foi presidente da CUT/SE, em 1988 foi candidato à vice-prefeito na chapa encabeçada por Deda, em 1994 rompeu com o PT juntando-se às correntes de esquerda que fundaram o PSTU, em 1999 aposentou-se por tempo de serviço e retirou-se do movimento sindical aderindo à causa ambiental. A professora Sanádia Gama foi assessora nacional da Pastoral da Juventude do Meio Popular (PJMP) no período de 2005 a 2009, participa da assessoria da PJMP regional BA/SE e presta assessoria a Federação dos Trabalhadores na Agricultura do Estado de Sergipe (FETASE).
Público atingido: 30 pessoas
Evento gratuito com pequenas despesas rateadas com os integrantes da Ação Cultural e colaboração  solidária no transporte de equipamentos e de pessoas. Parceria com a direção do clube que ficou com o lucro de bebidas e petiscos, cedendo o local de forma gratuita.

4) COLABORAÇÃO DA AÇÃO CULTURAL NO ENCONTRO MUSICAL COM O ARTISTAS CEARENSE ZÉ VICENTE COMO SARAU MULTICULTURAL ESTENDIDO.
21 DE SETEMBRO DE 2013 – SEMINÁRIO MAIOR NOSSA SENHORA DA CONCEIÇÃO.
Avaliação da equipe de apoio a produção da Ação Cultural/Sarau Multicultural Estendido - A presença do pessoal das CEBs (Comunidades Eclesiais de Base)e Pastorais Sociais, deram o tom da animação. Houve muita alegria do povo que ficou para o encontro musical. As cirandas envolveram a todos. A banda Mater Dei tocou direito. Um aspecto positivo foi a abertura do espaço na apresentação do Zé Vicente para os artistas da plateia. Muitos CDs foram vendidos. O livro de poemas vendeu bastante. Valeu os “toques” do Zé Vicente – catequese anêmica e apática, esquecendo as lutas do povo, entre outros.
Público atingido – 300 pessoas
Evento com acesso gratuito para o encontro musical ou sarau musical estendido.

5) Sarau Multicultural Itinerante, tendo como tema “Cidades Sustentáveis – Ecologia Urbana”.   em parceria com os agentes ligados as comunidades eclesiais de base (CEBs) e ao centro de estudos bíblicos (CEBI), no dia 28 de Setembro, sábado, das 14 ás 17h, no anexo da igreja São Pio X, bairro 18 do Forte.
Uma temática bastante pertinente em especial, depois dos transtornos causados pelas fortes chuvas em Aracaju e da ausência de um planejamento qualificado para minimizar os efeitos deste tipo de situação ou de politicas e gestão que contribuem para agravar ainda mais, os impactos negativos na vida da população em especial, das que moram nas periferias. Sem contar o caos do transporte público e dos problemas da mobilidade urbana.
Participaram do primeiro Sarau Itinerante na roda de conversa,  José Firmo, Especialista em Gestão Urbana e Planejamento Municipal e  Lizaldo Ferreira Ambientalista e Poeta, ambos da coordenação do Fórum em Defesa da Grande Aracaju e com  reflexão e ativismo de muitos anos em prol de uma Aracaju e de um Sergipe mais humano, sustentável, democrático e mais  justo.
Houve também a exibição do  curta “Do Outro Lado do Rio”  produzido pelo Núcleo de Produção Digital Orlando Vieira. Este trabalho conta a história de um pescador embrutecido pelas circunstâncias da vida e retrata o dia a dia com sua filha, uma menina tímida e cheia de sonhos. A gravação foi feita em Aracaju e na Barra dos Coqueiros sob a orientação da equipe do Instituto de Cinema e Vídeo de Londrina – Kinoarte.
 Público atingido – 20 pessoas
Evento gratuito com pequenas despesas rateadas com os integrantes da Ação Cultural e colaboração  solidária no transporte de equipamentos e de pessoas. Parceria com o pároco que cedeu o espaço de forma gratuita. 

PARTICIPAÇÃO DA AÇÃO CULTURAL NA REARTICULAÇÃO DA REDE SERGIPE DE PONTOS DE CULTURA.
22/10/2013 - Reunião preparatória  na sede da Ação Cultural, depois seguiram-se outras reuniões.



RELATÓRIO DE ATIVIDADES  DA AÇÃO CULTURAL NO TRIÊNIO 2010-2012

INTRODUÇÃO
A Associação Cultural, que para fins de conhecimento público também poderá ser designada Ação Cultural, fundada em 13 de agosto  de 2004, é uma associação civil, de direito privado, sem fins lucrativos.
A Ação Cultural  tem como missão e fim institucional  apoiar e realizar iniciativas voltadas para o desenvolvimento social, artístico e cultural das comunidades.
Tem como valores essenciais  o exercício ativo da cidadania democrática, tendo como postura essencial nas suas dependências e para o seu quadro social o tratamento igualitário de todos os seus integrantes e público em geral, sendo vetada a utilização de sua marca ou produções para interesses políticos partidários por qualquer meio de expressão.
Para atender a sua missão, a Ação Cultural possui os seguintes objetivos sociais:
I) Promover a arte e a cultura, implementando programas que vise o pleno exercício da cidadania cultural para o desenvolvimento da qualidade de vida da população.
II) Montar e apoiar oficinas, escolas informais, espetáculos nas áreas artísticas, vídeos, filmes e programas nas áreas de comunicação, com jornal, radio e tv e programas de inclusão digital.
III) Promover e apoiar estudos e pesquisas, captar fundos e recursos, patrocinar pesquisas e projetos relativos à geração de renda em arte e cultura para beneficiar grupos populares em situação de vulnerabilidade.
IV) Promover, participar e apoiar intercâmbio e capacitação dentro e fora do território nacional.
V) Estimular a parceria e o dialogo local e a solidariedade entre os diferentes segmentos sociais, participando junto às outras entidades que visem interesses comuns
Para atingir seus objetivos,  no triênio 2010-2012 a Ação Cultural realizou  vários eventos culturais no Estado de Sergipe e participou ativamente de outros além fronteiras.

2012
Almoço Cultural Paraense
No dia 12 de fevereiro, realizou-se a edição 2012 do Almoço Cultural Paraense. O evento tem por objetivo dá uma pequena amostra da cultura Paraense ao público sergipano, com a degustação de pratos típicos e demonstração de dança, música e literatura daquele Estado do Norte do País.
Como de costume, tivemos tucupi, jambu, castanha do Pará, polpa de cupuaçu, CDs de música e outras coisas mais sobre a cultura paraense.
Neste  dia reuniram-se cerca  quinze (15) pessoas para degustar uma comida deliciosa, ouvir poesia e música da Amazônia, além da boa conversa sobre cultura, meio ambiente, comunicação e amenidades.

Ponto de Cultura Juventude, Cultura e Cidadania.
O projeto Ponto de Cultura Juventude, Cultura e Cidadania, inscrito e escolhido por meio do edital de seleção pública lançado em 2010, fruto da parceria do Ministério da Cultura com a Secretaria de Estado da Cultura, foi apresentado com base nos seguintes objetivos e resultados: Ampliar e qualificar a participação de adolescentes em grupos de dança e de teatro existentes no Conjunto Jardim (município de Socorro), Conjunto Eduardo Gomes (município de São Cristóvão), por meio de oficinas de teatro, dança e informática/audiovisual (integrada).

               Pretende-se atender 80 adolescentes e jovens/ano em oficinas de artes cênicas e 20 adolescentes e jovens nas oficinas de informática/audiovisual, nesta incluindo adolescentes/jovens residentes em Aracaju, perfazendo um total de 100 participantes.
As atividades  começaram no início de abril com a realização das oficinas de dança moderna na Escola Estadual Olga Barreto (Conjunto Eduardo Gomes) e na Escola Estadual Júlia Teles e Espaço de Convivência Cultural e Social (Conjunto Jardim).
 
Caravana Luiz Gonzaga vai à Escola
A aula de quarta feira à noite do dia 13 de setembro de 2012 foi diferente na Escola Petrônio Portela, localizada no Conjunto Augusto franco, Zona Sul de Aracaju. A instituição foi a primeira a ser visitada pela “Caravana Luiz Gonzaga vai à Escola”. O projeto realizado pela Ação Cultural,  contemplado pelo prêmio Funarte em homenagem ao centenário Luiz Gonzaga, tem por finalidade criar condições e oportunidades para adolescentes e jovens conhecer e valorizar a cultura nordestina, além de aprender sobre a vida e obra musical de Luiz Gonzaga como parte dos conteúdos curriculares..
Por volta das 14h uma exposição de aproximadamente 30 fotos de várias fases da vida de Luiz Gonzaga foi  aberta com um cenário que remete ao interior: mural que lembra casa de taipa, esteiras de palha. As fotos retratam a família, momentos de Era de Ouro das Rádios, o sanfoneiro com sua roupa em homenagem aos vaqueiros e imagens do local onde o Luiz Gonzaga nasceu.
               Durante a noite o pesquisador e apaixonado pela obra do Rei do Baião, José Augusto de Almeida, fez uma palestra contando diversos fatos da vida do sanfoneiro e sua importância na música brasileira. Após a palestra adolescentes das oficinas do Ponto de Cultura Juventude e Cidadania fizeram apresentação de dança. A noite foi fechada com um repertório especial selecionado pelo trio Casaca de Couro com belas músicas do Rei do Baião.

               Cerca de 100 alunos do turno da noite assistiram  e conheceram a Caravana.
Pedagoga responsável pelo turno da noite, a professora Acácia Maria Santos acredita que o projeto da caravana merece apoio porque auxilia aos alunos a fazerem novas leituras de mundo. “O contato com elementos da obra de Luiz Gonzaga contribuirá para a formação dos nossos alunos e poderá suscitar o interesse pelas manifestações culturais nordestinas mais autênticas. Luiz Gonzaga é um ícone da cultura brasileira, não apenas da nordestina, seja pelo repertório, pelo estilo implantado, pelo que ele representou para o Nordeste, apresentando a realidade do nosso povo às outras regiões do Brasil”, afirmou.
Neste ano a Caravana Luiz Gonzaga visitou  04 escolas e foi assistida por cerca de 500 alunos de escolas públicas.
O projeto pretende atingir 10 escolas, localizadas em Aracaju e na região metropolitana, acrescido de 2 espaços culturais localizados no centro histórico de Aracaju (lançamento e encerramento do projeto). O público mínimo a ser beneficiado é estimado em 200 professores e 2000 alunos.
 
2ª Jornada Ecologia & Espiritualidade
Uma programação voltada para discutir a ecologia e a religião como estímulos de transformação social e ainda, finalizando, com atividades culturais que incluem cantoria e danças circulares.  Essa é a principal proposta da “Jornada Ecologia e Espiritualidade” organizada pela ONG Ação Cultural.
Segundo Zezito de Oliveira, integrante da coordenação do evento, um dos  seus objetivos é  “fazer com que mais pessoas conheçam e se envolvam de uma forma diferente com as grandes causas do presente e do futuro e coma a questão ambiental.  O Brasil é um país cheio de mazelas: uma das maiores concentrações de renda do mundo, situações de violência.  Mas existe muita gente trabalhando com solidariedade e criatividade  para mudar essa realidade”.
Com formato similar ao de 2011, a programação da JE-2012, realizada no período de 21 a 23 de Setembro, foi composta de palestras e oficinas, noite cultural (show musical, apresentações artísticas e roda de danças circulares) e exposição e venda de comidas, CDs, livros e artesanato.
A assessoria da JE 2012, esteve a cargo do missionário, cantor , compositor, músico, educador e ecologista Zé Vicente, definido pelo site MPBnet da seguinte maneira: "Um apaixonado por seu povo, sua terra, pátria, planeta, suas raízes sagradas. Através de Shows e das Oficinas de Arte-Vida, Zé Vicente vai sensibilizando pessoas com sua poesia e música criativa , em sintonia permanente com as grandes causas humanas, sociais e ecológicas do nosso tempo.”
  
2011
Oficina de Danças Circulares – No Ritmo da Vida
               Foi realizado nos dias 15 e 16 de janeiro a “Oficina de Danças Circulares – No Ritmo da Vida”, na Comunidade Bom Pastor, no Bairro Santos Dumont.
                Sempre associadas às colheitas, celebrações ou a religiosidade, as danças circulares estão presentes entre diversos povos. Em 1976 o coreógrafo alemão Bernhard Wosien obteve da comunidade alternativa de Findhorn , localizada no norte da Escócia, o compromisso em disseminar o conhecimento por ele acumulado em algumas décadas de registro, catalogação e difusão das danças. Findhorn tornou-se uma grande divulgadora desse tipo de dança ressaltando seus aspectos de integração comunitária e para fins terapêuticos.

               Os praticantes de danças circulares também ressaltam o seu caráter terapêutico, de autoconhecimento além de ser uma forma de expressão que estimula a interação, alegria e leveza de seus participantes.
  
Oficina  de Quadrilhas Juninas  das “antigas”
               No dia em 17 de abril  a Ong Ação Cultural realizou a Oficina de Quadrilha Junina Tradicional , tendo como objetivo preparar focalizadores de danças circulares, educadores, arte-educadores, profissionais da área social e da saúde e ativistas sociais para marcar quadrilhas “improvisadas” ou “caipiras” em seus espaços de atuação.
               Esta iniciativa está inserida em torno de um movimento de danças circulares oriundo da Inglaterra e que chegou ao Brasil (São Paulo) no inicio da década de 80, ao nordeste (Recife) no final da década de 90 e, finalmente, em Aracaju, no inicio do ano 2000.
            As suas origens se devem à iniciativa do alemão Bernhard Wosien, bailarino e pedagogo da dança, que no decorrer dos anos sessenta do século XX, iniciou o registro e a difusão de muitas danças folclóricas e étnicas da Europa Central e Oriental, incluindo depois regiões de outros continentes.

Almoço Cultural Paraense
No dia 15 de maio (domingo), na garagem d'art, situada na rua Goiás, 889, bairro Siqueira Campos, a Ação Cultural promoveu mais uma edição do Almoço Cultural Paraense.
Desta edição participaram cerca de dez (10) convidados.
   
O movimento PRÓ-FASC
A Ação Cultural participou efetivamente do movimento PRÓ-FASC, cujo objetivo é a retomada e a continuidade do festival de Artes de São Cristóvão.  
Para isso, no dia 08 de julho de 2011, dois representantes da comissão do Movimento PRÓ-FASC, Zezito de Oliveira, representando a Ação Cultual, e Glauber de Souza, entregaram à ministra da Cultura, Ana de Hollanda, um dossiê pró retomada do Festival de Arte de São Cristóvão (FASC), uma cópia do manifesto e uma camisa alusiva à campanha. Na ocasião a querida cidade de São Cristóvão se preparou com pompa e circunstância para acolher a ministra Ana de Hollanda, e outras autoridades ligadas ao campo da cultura, para receber a certidão da UNESCO que confere o título de Patrimônio Cultural da Humanidade à Praça São Francisco.
Na oportunidade informamos que o Festival de Arte de São Cristóvão fora realizado durante mais de trinta anos por iniciativa da Universidade Federal de Sergipe e que está suspenso há cinco anos. Esclarecemos ainda que nossa expectativa naquele momento era obter o apoio dela e do Ministério da Cultura para a retomada e continuidade do festival. A resposta da ministra foi solicitar ao representante regional do MINC, para que, em nome dela, se responsabilizasse pelo assunto.
               Até agora, essa é a principal conquista do movimento PRÓ-FASC, resultado das reuniões realizadas com as diversas instâncias do poder que estiveram envolvidas no festival (UFS, Prefeitura, Secretaria de Estado da Cultura, IPHAN, IFS e Secretaria de Estado de Turismo), além dos vários atos públicos para obter o apoio da população sergipana e, especialmente a sancristovense, ao movimento.
               Esse apoio foi obtido, e pode ser comprovado, com as cinco (5) mil assinaturas recolhidas até o momento.

 
I Jornada Ecologia e Espiritualidade
No dia 23 de setembro de 2011, na Igreja de São Pio X, foi realizada a I Jornada Ecologia e Espiritualidade. Na ocasião Roberto Malvezzi, mais conhecido como Gogó, iniciou a sua palestra dialogada na jornada ecológica, com público de mais de 40 pessoas.  Na noite de sábado realizou-se a noite cultural, com a participação musical de Krânio e de Gogó. O primeiro, músico, cantor e compositor, mostrou um repertório de clássicos nordestinos inspirados na temática ambiental, além de canções autorais, deixando a todos e a todas com gosto de quero mais.
              Já Gogó, que cantou por diversas vezes durante a apresentação dialogada, realizada na noite de sexta-feira e durante todo o dia de sábado, encantou ainda mais aqueles que o assistiam, apresentando outras músicas do seu repertório e de outros compositores nordestinos.
              Durante a noite cultural, em alguns momentos, os presentes foram convidados a dançar em roda.
               No domingo a jornada foi encerrada com um estudo bíblico a respeito de como o livro sagrado dos cristãos aborda as questões relacionadas à terra, à água e aos demais elementos da criação e como nos inspirarmos nele para a defesa do planeta e da vida, de forma contextualizada e respeitando as outras tradições espirituais e filosóficas.
A opinião dos participantes:
Que Bom!
Quero mais!
Foi muito bom tudo que foi pregado na palestra. Foi ótimo!
Uma jornada com este tema, mais voltado a missão das comunidades eclesiais de base (CEBs) e toda a igreja
Que o Pe. Soares escolheu tão bela pessoa para nos apresentar este tema.
Por esta jornada! Pois foi a melhor coisa que aconteceu na minha vida neste ano. Que bom ter aprendido coisas sobre a Ecologia da qual não tinha conhecimento.
Que o conhecimento que fica me leva a repensar a maneira que devo tratar a Deus e a natureza. Que bom que há pessoas como Gogó que está sempre disposto a nos ajudar a crescer.
Foi maravilhoso participar e hoje aprender muitas coisas.
A participação do povo, a acolhida, o almoço...
Termos outro evento neste formato. Excelente o tema
tratado na jornada; a dinâmica de Gogó; as danças; as músicas
Gostei de tudo, foi ótimo, uma beleza, umas maravilhas!
O desenvolvimento do encontro, a assessoria, o local, a organização
Que nossa igreja está sempre pronta para novas idéias como essa da jornada.

Que Pena!

Que acabou e que nem todos vieram, pois todos deveriam ter esta consciência cristã sobre a natureza e a criação.
Que foi pouco tempo.
Que já está terminando.
Que não pude participar de todos os momentos
Que já vai terminar. Seria bom que fosse mais prolongado.
Que acabou.
Terminou e as pessoas perderam estas maravilhas.
Pouca participação de pessoas.
Que acabou. Precisamos de outra formação, nunca é demais.
Continuar refletindo sobre o tema.
Que são poucos dias.
Apenas dois dias e uma noite. Que idéias como essas possam acontecer outras vezes.
Que acabou! Contudo tivemos estes conhecimentos.

Que tal!
Outras jornadas, formações com temas interessantes como esse.
Vir mais vezes. Fiquei feliz em conhecer Gogó e parabenizo pelo seu trabalho tão bonito de divulgação, ou seja, de levar um pouco de seu tão rico conhecimento também por ser tão bonito!
Para os próximos eventos incentivar mais a participação das pessoas, porque é muito importante o trabalho que Gogó faz.
Muito obrigado! Jesus o abençoe!
Não pararmos por aqui. Precisamos muito destas experiências.
Acontecer uma segunda jornada ou acatar a sugestão do Pe. Soares de irmos em caravana até Pernambuco em 2012 para protestarmos contra a implantação de usinas atômicas as margens do Rio São Francisco.
Foi muito bom! Obrigado!
Continuarmos sempre.
Marcar outro encontro. Parabéns a todos vocês que organizaram este encontro.
Continuar no próximo ano, realizando a II Jornada Ecologia e Espiritualidade com divulgação também em outras dioceses.
Marcarmos logo outros temas do próximo evento ou até mesmo uma procissão.
Que seja formado a partir desta jornada, um grupo de reflexão e trabalho acerca do que nos foi apresentado durante estes dias.
Implantar projetos como a jornada ecológica em comunidades mais carentes.
A graça de Deus nos uniu nesse encontro! Aleluia!
Multiplicar esse evento ecológico em nossa Arquidiocese. É um bem! “

 2010
Almoço Cultural Paraense
         Todos os anos a ONG Ação Cultural promove o “Almoço Cultural Paraense”, acompanhado de uma amostra do melhor da música do norte do país: Pinduca, Nilson Chaves, Salomão Habib e do Grupo Uauiara. Há também demonstração de danças, literatura e folclore Paraense.
        No cardápio um delicioso pato no tucupi, com acompanhamento opcional de pimenta de cheiro e creme de cupuaçu.
        O Almoço Cultural Paraense é promovido desde 2004, ano de fundação da Ação Cultural.
        Neste ano, no dia 07/02/2010, às 11:30 h, participaram do evento quinze (15) pessoas.
  
3º Baile de Danças Circulares
          No dia 06 de março às 19h30 no Centro de Criatividade a ONG Ação Cultural promoveu o 3 º Baile de Danças Circulares ,  evento que teve por principal objetivo arrecadar fundos para o ECARTE, projeto que visa trabalhar arte e Direitos Humanos com jovens de dois bairros da grande Aracaju. O baile foi conduzido por focalizadores experientes para celebrar e fazer o público interagir com esta manifestação artística. No repertório um apanhado diverso da sonoridade de danças do leste europeu, de Israel e da cultura tradicional brasileira, entre outras.
          Sempre associadas às colheitas, celebrações ou a religiosidade, as danças circulares estão presentes entre diversos povos. Em 1976 o coreógrafo alemão Bernhard Wosien obteve da comunidade alternativa de Findhorn , localizada no norte da Escócia, o compromisso em dissemina r o conhecimento por ele acumulado em algumas décadas de registro, catalogação e difusão das danças.

VII Congresso do IDEA Abraçando as Artes de Transformação: Viva a Diversidade! Viva!
Por ocasião da realização do “VII Congresso do IDEA Abraçando as Artes de Transformação: Viva a Diversidade! Viva!”, nos dias 17 ao 25 de julho, em Belém (PA), Zezito de Oliveira, representante da Ação Cultural, foi convidado para apresentar a interessante experiência do Projeto ECARTE (Estatuto da Criança e do Adolescente com Arte) que, nos anos de 2002 a 2006, realizou oficinas de teatro, dança e discussões sobre o Estatuto da Criança e Adolescente com adolescentes do conjunto Jardim, periferia da região metropolitana


 
ESTATUTO

SOBRE A AÇÃO CULTURAL - PRINCIPAIS PERGUNTAS


ATUAÇÃO DA ONG AÇÃO CULTURAL


Atividades em 2009
ASSEMBLÉIA GERAL E OUTRAS AÇÕES


Atividades em 2008

BAILE DE DANÇAS CIRCULARES

Atividades em 2007

RELATÓRIO DE ATIVIDADES


IMAGENS DO 3ºFÓRUM POPULAR DE CULTURA


DIRETORIA ELEITA EM 2007 (Triênio 2007 a 2010)


Atividades em 2006

RELATÓRIO DE ATIVIDADES

http://acaoculturalse.blogspot.com/2008/07/relatrio-de-atividades-da-ong-ao.html

CURRICULOS

 Assessor técnico em gestão/produção e arte-educação

José de Oliveira Santos – “Zezito” – brasileiro, casado, sergipano.

Formação acadêmica – Pós-Graduado - Especialização em Arte-Educação., pela Faculdade São Luís de França - 2010/2011.  Graduação - Curso superior de Licenciatura em História, pela UFS - Universidade Federal de Sergipe - 1992/1997. Atividades Profissionais: Professor das disciplinas História, Sociologia e Artes.  Produtor Cultural free lance.


Atividades como produtor cultural/gestor cultural
Coordenador pedagógico e de gestão do Ponto de Cultura Juventude e Cidadania – De 2012 até o momento. – Socorro e Aracaju/SE;
Coordenador de produção das oficinas e bailes de danças circulares – De 2005 até 2010. Atualmente integrante da equipe de produção. – Aracaju – SE;
Diretor do Complexo Cultural “O Gonzagão” - maio de 2007 a julho de 2009 – Aracaju/SE; Coordenador de produção do I, II e III Fóruns Populares de Cultura – 2005, 2006 e 2007- Aracaju/SE
Coordenador de produção das mostras Arte e Cidadania – 2004, 2006 e 2007 - Aracaju/SE
Diretor-Presidente da Organização/Coletivo Ação Cultural – 2004 a 2007 – SERGIPE.

Atividades como palestrante

3º Sarau Cultural Artistico e Cultural de Siriri - 2015 – Siriri/SE
2ٛº Sarau Artistico e Cultural – 2014 – Siriri/SE
7º Congresso Mundial de Drama/Teatro e Educação – 2010 - Belém/PA
2º Seminário Juventude, Cultura e Desenvolvimento – 2006 – Rio de Janeiro/RJ
1ª Conferência Municipal de Cultura do município da Barra dos Coqueiros/SE, com o tema POLITICA MUNICIPAL DE CULTURA.
Projeto Palco Giratório do SESC NACIONAL, com o tema CULTURA E CIDADANIA – 2005 – Aracaju.

PROJETOS APROVADOS:
Projeto Oficinas Estatuto da Criança e do Adolescente com Arte (Ecarte) - seleção interna da Coordenadoria Ecumênica de Serviço (CESE) – 2002; Projeto do primeiro módulo da oficina de projetos socioculturais - Superintendência local do BNB – 2004;     Projeto do II Fórum Popular de Cultura -  seleção interna da CESE – 2005;   Projeto do III Encontro Popular de Cultura - seleção pública do prêmio BNB de Cultura – 2006;      Projeto Juventude, Cultura e Cidadania (oficinas de artes cênicas e audiovisual) - seleção pública do programa Cultura Viva - 2010;      Projeto II Jornada Ecologia e Espiritualidade no edital de seleção de projetos do Fundo Nacional de Solidariedade/Cáritas Nacional/CNBB – 2011 – seleção pública do prêmio Funarte/Centenário Luiz Gonzaga – Projeto Caravana Cultural Luiz Gonzaga Vai a Escola.- 2012

Participação em cursos de curta duração, oficinas, seminários e etc.


Curso XXVIII Curso de Verão – Ceseep e PUC/SP - Juventude e Relações Afetivas – 76 horas – 2015 – São Paulo -
Curso XXVII Curso de Verão – Ceseep  e PUC/SP– Juventudes em Foco: Por Politicas Públicas Inclusivas em Educação, Trabalho e Cultura – 76 horas- 2014
PROGRAMA DE CAPACITAÇÃO EM GESTÃO DE PROJETOS E EMPREENDIMENTOS CRIATIVOS. 2013 A 2014 – SENAC-DF e Ministério da Cultura – on-line e etapas presenciais em Salvador e Brasilia
Etapa I – Gestão Cultural – Conceitos Básicos – 40h
Etapa II – Gestão de Empreendimentos Criativos I – 15h
Etapa II – Gestão de Empreendimentos Criativos I – 20h
Etapa II – Elaboração e Gestão de Projetos Culturais I – 20h
Etapa II – Elaboração e Gestão de Projetos Culturais II– 40h
Etapa III – Elaboração de Projetos Culturais e Gestão de Empreendimentos Criativos – Oficinas Presenciais – 32h


Curso Empreendedor Cultural – Sebrae – 20 horas – 2013 – Aracaju-SE
PROGRAMA DE CAPACITAÇÃO EM GESTÃO DE PROJETOS E EMPREENDIMENTOS CRIATIVOS. 2013 A 2014 – FGVOnline /RJ e Ministério da Cultura. On-line e etapa presencial em Aracaju.
Curso Economia da Cultura – FGVOnline/MINC – 15 horas - 2011
Curso Politica e Gestão Cultural – FGV Online/MINC – 30h – 2011
Marketing, Negociação e Apresentação de Projetos – FGV Online /MINC – 15h - 2011
Encontro Presencial de Capacitação em Projetos Culturais – Fundação Getúlio Vargas/Ministério da Cultura – 26h – 2010
Curso de Gestão e Politicas Culturais  - Itaú Cultural/Secult – 44h-  2010 - Aracaju-SE
Curso Produção Cultural – SESC – 40 horas – 2009 - Aracaju-SE
Curso a distância “Gestão Contemporânea da Cultura” – DUO Informação e Cultura – 95 horas - 2009
Cursos  Juntos Somos Fortes (Nocões Básicas de Associativismo e Cooperativismo),  Aprender a Empreender e Capacitação em elaboração de projetos para captação de recursos - Sebrae – 60h -  2008.
Curso de Gestão Cultural promovido pela Rede Sergipe de Cultura/UFS. Módulo 1 – Cultura e Política Cultural; Módulo 2 – Gestão Cultural; Módulo 3 – Produção, Comunicação e Marketing Cultural; Módulo 4 – Projetos Culturais. – 120h -  Agosto, Outubro, Dezembro e Janeiro de 2007.
XXII Curso de Verão do Centro Ecumênico de Serviços a Evangelização e Educação Popular/PUC-SP  - Arte e Educação Popular – 11 a 18 de janeiro de 2009 (70 horas) – PUC-SP.
Delegado no I Encontro Sul-Americano das Culturas Populares e no II Seminário Nacional de Políticas Públicas para as Culturas Populares em Brasília promovido pelo Ministério da Cultura, no período de 14 a 17 de setembro de 2006
Curso Elaboração de Projetos Culturais – SEBRAE – 20 horas – 2006- Aracaju-SE
Delegado no Seminário Nacional de Políticas Públicas para as Culturas Populares – 23 a 26 de fevereiro de 2005 – Ministério da Cultura. Brasília/DF.

Blogs:





MAPEAMENTO DE INICIATIVAS CULTURAIS ESCOLARES E COMUNITÁRIAS.

Quando Gilberto Gil assumiu  o Ministério da Cultura (MINC) no ano de 2003,  fez um discurso na câmara dos deputados, afirmando  que há muitas iniciativas culturais que nascem e morrem sem que o Brasil possa se dar conta de quanto talento é capaz a nossa gente.
A  partir de então,  o MINC reuniu em diversos momentos,  milhares de agentes ligados as  iniciativas culturais que resistiam aos  obstáculos e adversidades para produzir cultura nas comunidades, visando  discutir os problemas e encontrar  alternativas. Depois disso  foram criados diversas politicas e programas culturais, com destaque para o Cultura Viva – Pontos de Cultura.
Com o programa Cultura Viva,  pela primeira vez na história da república brasileira, iniciativas culturais de base comunitária, passaram a receber recursos públicos substanciais, com alguma regularidade e mediante seleção pública, além da criação de ambientes e oportunidades para o intercâmbio e troca de experiências.
A despeito disso, ainda há muito  em matéria de produção cultural de base comunitária para ser alcançada pelas ações do programa cultura viva e de outras politicas públicas governamentais.
Para contribuir no sentido de tornar isto realidade, diversas ações por parte do MINC, estão sendo iniciadas ou recomeçadas neste ano de 2015,  a partir da vontade politica em  retomar o vigor inicial do Programa Cultura Viva. 
Como uma das formas de fazer valer esta disposição, estão sendo organizadas Caravanas Cultura Viva para interagir com  Pontos de Cultura e outros tipos de iniciativas culturais país afora , além do uso potente das redes sociais, com o objetivo de disseminar informações e conhecimentos sobre o Programa Cultura Viva e outras ações  que tenham relação com este, ações desenvolvidas tanto pelo governo, como por agentes culturais e organizações da sociedade civil.
Neste campo da sociedade civil organizada,  a Ação Cultural,  reconhecida como Ponto de Cultura no ano de 2011, tem buscado participar e fortalecer de iniciativas que colaborem para ampliar a presença de mais iniciativas e agentes culturais nos espaços conquistados de promoção e desenvolvimento da cultura viva comunitária.
Neste sentido,  uma das ações pensadas em 2014 e que pretendemos realizar no ano de 2015 é um mapeamento de iniciativas culturais exitosas que acontecem  nas escolas e em outros espaços das comunidades,  na periferia e no  interior de Sergipe,  afim de estabelecermos uma ligação mais estreita que possibilite a realização em rede, de projetos ou ações conjuntas nas áreas do diagnóstico sócio cultural, planejamento participativo, metodologias do trabalho socioeducativo e cultural, produção cultural colaborativa, uso das redes sociais, conhecimentos especializados em linguagens artísticas e manifestações culturais, captação de recursos, promoção de mostras artísticas ou festivais e etc.
Para começar este  mapeamento, estamos disponibilizando um questionário que poderá ser preenchido e devolvido  através do e-mail zezitodeoliveira@gmail.com  


Cadastro de iniciativas culturais escolares e/ou comunitárias.



1 – Nome da Iniciativa

2 - Nome da pessoa que responde as informações e qual o papel ou função que desempenha na iniciativa

3 – Endereço, telefone e e-mail

4 –Qual(is)  a (s)  linguagem (ens)  artística  (as) ou manifestação (ões) é   utilizada pela iniciativa (dança, teatro, audiovisual, artes plásticas, artes visuais, música, hip-hop, capoeira etc.)

5 –Quantidade de componentes da iniciativa

6 – Quais locais, ambientes ou espaços o grupo utiliza para reuniões, ensaios e apresentações?

7 – Quem apóia a iniciativa cultural?

8 - Como se deu o surgimento da iniciativa?

9 – Qual o objetivo da iniciativa?

10 – Cite as três maiores  dificuldades enfrentadas pela iniciativa cultural?

11 – Quais oportunidades de aprendizagem ligado a arte e a cultura, a iniciativa cultural  participou?

12 – O grupo organiza outras atividades além daquelas ligadas a arte e a cultura?

13 – Como a iniciativa  é visto por outras pessoas da comunidade?

14 – Algum participante da iniciativa tem formação técnica pedagógica e/ou artística ligada a área do conhecimento artístico ou cultural?

15 – Quais os momentos de sucesso mais importantes da iniciativa cultural?
16 – Endereço de página no facebook e/ou blog da iniciativa

  
Para fins de preenchimento do questionário,   INICIATIVA CULTURAL significa atividades, eventos, artistas, fazedores de cultura, lugares e grupos culturais, professores e outros profissionais ou lideres da comunidade envolvidos em trabalhos culturais reconhecidos socialmente e historicamente, no seio das comunidades.
Para saber e participar de ações que já estão sendo realizadas nas áreas que indicamos acima, recomendamos os interessados em participar desta iniciativa cultural colaborativa, a adesão as  páginas e grupos no facebook listados abaixo, além de seguir o blog da Ação Cultural e Produção Cultural nas Escolas. 
 Rede de  Pontos de Cultura de Sergipe
Produção Cultural nas Escolas
blog da Ação Cultural
blog Produção Cultural nas Escolas




Ficha de levantamento de conhecimentos artísticos e culturais para a produção de Sarau.

Sarau
Um sarau (do latim seranus, através do galego serao) é um evento cultural ou musical realizado geralmente em casa particular onde as pessoas se encontram para se expressarem ou se manifestarem artisticamente. Um sarau pode envolver dança, poesia, leitura de livros, música acústica e também outras formas de arte como pintura e teatro. Evento bastante comum no século XIX que vem sendo redescoberto por seu caráter de inovação, descontração e satisfação. Consiste em uma reunião festiva que ocorre à tarde ou no início da noite, apresentando concertos musicais, serestas, cantos e apresentações solo, demonstrações, interpretações ou performances artísticas e literárias. Vem ganhando vulto por meio da promoção dos grêmios estudantis, escolas e coletivos/organizações culturais de juventude e/ou de periferia. (do site Wikipédia)


1 - Nome da pessoa que responde as informações.
3 – Endereço, telefone e e-mail. Se preferir coloque somente o nome.
4 –Qual(is)  a (s)  linguagem (ens)  artística  (as) ou manifestação (ões) que prefere e/ou que pratica. Exemplo:  dança, teatro, audiovisual, artes plásticas, artes visuais, música, hip-hop, capoeira, poesia, artesanato , contação de histórias e outras.
Obs: Nem tudo que preferimos praticamos. Liste de 1 a 3 o que prefere. Das que pratica liste de 1 a 3, a que tem mais experiência, sendo a numero 1 a que você pratica melhor.
5 - Tem alguma formação técnica pedagógica e/ou artística, ligada a alguma área do conhecimento artístico ou cultural?
6- Liste de 1 a 3 os poetas da sua preferência.
7 – Liste de 1 a 3 as músicas da sua preferência.
8 – Liste de 1 a 3 os filmes/vídeo curta metragens da sua preferência(até 15’)
9 – Outra informação que considere importante acrescentar.

Vamos fazer Sarau? Uma das maneiras de enfrentarmos a onda reacionária, regressiva e retrógada que ameaçam muitos de nossos avanços civilizatórios.

I- Título do Projeto
SARAU MULTICULTURAL NO COLÉGIO EDÉLZIO.
Abril – “A arte denuncia a ditadura e anuncia a necessidade da justiça, da liberdade e da igualdade.” ( 3º ano) – 5 de abril de 2017
Junho – Conhecendo o nordeste com Luiz Gonzaga (turmas de 1º ano). Conhecendo o nordeste com Dominguinhos. (turma de 2º e 3ºano).
Novembro – Consciência Negra.

1) Coordenador - Professor José de Oliveira Santos “Zezito”

Sarau
Um sarau (do latim seranus, através do galego serao) é um evento cultural ou musical realizado geralmente em casa particular onde as pessoas se encontram para se expressarem ou se manifestarem artisticamente. Um sarau pode envolver dança, poesia, leitura de livros, música acústica e também outras formas de arte como pintura e teatro. Evento bastante comum no século XIX que vem sendo redescoberto por seu caráter de inovação, descontração e satisfação. Consiste em uma reunião festiva que ocorre à tarde ou no início da noite, apresentando concertos musicais, serestas, cantos e apresentações solo, demonstrações, interpretações ou performances artísticas e literárias. Vem ganhando vulto por meio da promoção dos grêmios estudantis, escolas e coletivos/organizações culturais de juventude e/ou de periferia. (do site Wikipédia)


II - Objetivos do Projeto a) Geral
-Criar um espaço de produção de conhecimento que articule conteúdos programáticos de História, Artes e Novas Tecnologias, visando colaborar no desenvolvimento intelectual, artístico e humano dos alunos (as), através de atividades de pesquisa, criação e apresentações artísticas em uma programação cultural no formato conhecido como Sarau. 


b) Específicos
Realização de três saraus temáticos contendo recitação de poesia, apresentações musicais, artes cênicas (dança, teatro), artes plásticas e etc.. Assim como apresentações artística ou informativas utilizando suportes tecnológicos como vídeo, powerpoint e etc.

Oportunizar um espaço de experimentação, criação e fruição estética para o corpo discente e docente.
Ampliar o repertório cultural e humanístico do corpo discente e docente.
Estimular através do envolvimento do corpo discente no planejamento, na execução e avaliação do projeto , a realização do projetos de Saraus em outros situações de espaço/tempo na cidade.

III - Justificativa
Dentre as principais demandas colocadas pelos alunos do Colégio Dr. Edélzio Vieira de Melo, como das outras escola em geral, destaca-se a criação de mais momentos e oportunidades que possibilitem aprender conteúdos curriculares integrados com a criação artística. Por outro lado, a criação de oportunidade para práticas pedagógicas que contenham componentes artísticos é de grande valia para os alunos, em razão da cidade de Santa Rosa de Lima, quase não ofertar locais e/ou programas que favoreçam a aprendizagem ou a fruição de linguagens artísticas.

Para os professores, há também necessidade da criação de estratégias metodológicas que possam dar conta das duas necessidades apontadas acima, em razão do reconhecimento de que os métodos tradicionais de ensino não são suficientes para atender as expectativas das novas gerações, em especial o protagonismo juvenil, no planejamento e desenvolvimento das ações do processos de ensino-aprendizagem, possibilitando a formação de espaços/oportunidades que oportunizem a discussão de questões relacionando o conteúdo programático com questões do cotidiano e/ou temáticas que estejam na ordem do dia, além de espaços/ oportunidades de interação mais criativa com colegas, professores e comunidade.
Como facilitador para a utilização de novas estratégias metodológicas, temos os recursos oferecidos pelas novas tecnologias e pelas redes sociais, não apenas pelas possibilidade de acesso, como também da produção de conteúdos pedagógicos e/ou artisticos.
No caso do acesso, temos o enorme manancial de informação ofertados pela internet, seja em forma de textos ou de imagens, como de áudio ou audiovisual. No caso da produção, temos os programas de computadores que copia, grava, edita e etc., assim como os suportes tecnológicos que armazenam e reproduzem os frutos da criação/produção de um número cada vez maior de pessoas.
Toda o quadro descrito acima, foi vivido pelo corpo docente e discente do Colégio Estadual Dr. Edélzio Vieira de Melo em meio a preparação e realização de alguns projetos desenvolvidos nos últimos anos, como Feira das Nações, São João, Show de Talentos e Música e Consciência Negra. Este último, realizado pela primeira vez no ano de 2015, dispõe de um relatório de avaliação, baseado em questionário respondido pelos alunos com o objetivo de medir o alcance dos resultados e recolher sugestões para projetos com características semelhantes.
Nesta perspectiva de avanço, com vistas a atender aos anseios e expectativas de alunos e professores descritas acima, estar-se-á convidando colegas e alunos do Colégio Edélzio a contribuírem com sugestões visando melhorar o que está proposto no projeto Sarau Multicultural na Escola, cuja diferencial proposto em matéria de produção, está sustentado no principio da participação colaborativa discente e docente e no estimulo a articulação dos conteúdos programático de História para o 3º anos, assim como de disciplinas, apresentado com base em aprofundamento por meio de pesquisas escolares e práticas artísticas e culturais.

IV - Metodologia
Estratégias de ação
• Distribuição de cópias do projeto para análise visando agregar sugestões de colegas e alunos.
• Redação final com os acréscimos realizados
• Envio do projeto para análise da direção e coordenação pedagógica.
• Definição dos professores e matérias que farão adesão a proposta.
• Encaminhamento prático através de roteiro, com as estratégias pedagógicas especificas, discutidas e escolhidas no processo de consulta, além das estratégias gerais apresentadas nesse texto.
• Definição de data e programação da apresentação da primeira edição temática do projeto e das demais subsequentes.
• Distribuição do questionário de avaliação e posterior publicação dos resultados.
• Avaliar possibilidade para apresentação do projeto e de seus resultados no (Feira de Arte, Ciências e Tecnologia – CIENART)

Estratégias metodológicas (gerais)
Quanto as linguagens, pretendemos utilizar música, poesia, teatro, dança, artes visuais, artes plásticas e audiovisual (mostra de vídeos).
Em termos de articulação dos temas, cada apresentação nas respectivas linguagens deverá observar as ligações apropriadas. Dessa maneira, o Sarau temático cujo tema é , “A arte denuncia a ditadura e anuncia a necessidade da liberdade e da igualdade.”, será realizado com a apresentação de produtos culturais que façam referências diretas ao tema e/ou que tenham sido produzidos no período.
Uma forma mais simples pode ser esta, utilizando somente a obra artistica, sem preocupação em dar um maior destaque a biografia dos autores, como fizemos no dia da consciência negra de 2015.
Porém, nos saraus que trabalharão com os temas referentes a produção cultural no periodo da ditadura (1960/1970), São João e Consciência Negra, a forma mais apropriada é pesquisar e apresentar além das obras artisticas, também biografias, considerando que há uma grande produção artistica e autores relevantes ligados a estes temas.
No caso do primeiro Sarau, cujo tema é ligado a luta em favor da democracia no período de 1964 a 1985 trabalharemos com artistas de grande importância no período da luta e da resistência contra a ditadura civil-militar. No caso da música, Chico Buarque, Milton Nascimento, Geraldo Vandré, Caetano Veloso e Gilberto Gil e até mesmo artistas da chamada música brega como Odair Jose, que embora não tenha estabelecido um confronto direto com a ditadura, também foi perseguido pela censura ou no caso de Roberto e Erasmo Carlos que não tiveram problemas com a censura, mas que foram muito populares no período e objeto de algumas controvérsias. Assim pode ser com poetas, artistas plásticos, dramaturgos, cineastas e etc. Desta forma quem escolher apresentar determinada obra, também pesquisa e apresenta a vida do autor. Alguns autores de destaque no periodo, dentre outros, no caso do cinema: Ruy Guerra, Gláuber Rocha, Nelson Pereira dos Santos. Teatro: Augusto Boal, Gianfrancesco Guarnieri, José Celso Martinez Correa, Amir Haddad. Poesia: Vinicius de Moraes, João Cabral de Melo e Neto, Ferreira Gulart. Artes Visuais: Henfil. Artes Plásticas: Hélio Oiticica, Sérgio Ferro, Alipio Freire, Cláudio Tozzi
Responsabilidades pela execução do projeto.
Por ser um projeto de área de humanas e de linguagens, a proposta tem maior aderência destas áreas, porque se propõe articular conteúdos programáticos, artes e novas tecnologias. Neste caso, as disciplinas de História, Sociologia, Artes, Português, Literatura, Filosofia e Redação oferecem um campo bastante vasto para fazer a articulação.
O que não impede, e é também desejável, que as matérias da área de exatas busquem conteúdos próprios que possam fazer a articulação com os temas,

Como isso pode precisar de algum tempo, a proposta é realizarmos os primeiros saraus fazendo a interdisciplinaridade com as matérias afins ou trabalhar com as três matérias que oferecem maior facilidade para fazer ligações ou pontes, tanto entre si, assim como em relação aos conteúdos programáticos e os temas dos saraus..
V - Orçamento Detalhado
A proposta orçamentária tem como base alguns equipamentos que a escola já dispõe,o que não implicará em gastos extras .São eles:
Caixa de som; datashow; microfones; computador; acesso a internet, máquinas para xérox
Em termos de material de custeio, primeiramente precisaremos realizar o planejamento especifico de cada sarau para definir o quanto será necessário para a compra de material como papéis de diversos tipos, tecidos como TNT etc. Neste caso, teremos que aguardar por uma discussão das escolhas que os alunos (as) irão fazer em termos de produção de cartazes/painéis, esquetes teatrais, coreografias e etc.

Estimamos inicialmente um valor aproximado de R$500,00 para o custeio do material pedagógico, produção da arte do cartaz e etc..
VI - Assinatura

Ao disponibilizarmos o projeto em tela, pensamos na possibilidade de estimular a criação de  uma rede de professores e alunos de escolas públicas, aliados com coletivos e/ou organizações  de cultura e de juventude.

Quem quiser colar,  é só entrar em contato através das redes sociais ou telefone. 


Sob Licença Creative Commons. CC-BY-SA
 Para saber mais sobre Creative Commons. AQUI 


Para saber mais sobre os Saraus Multiculturais no Edélzio que já foram realizados. AQUI

 Os  SARAUS de São Paulo. AQUI