VideoBar

Este conteúdo ainda não está disponível por conexões criptografadas.

terça-feira, 18 de fevereiro de 2014

Vamos pra galera! Vamos para as bases...Plebiscito Popular por uma Constituinte Exclusiva e Soberana do Sistema Político.






A articulação de animadores de circulos bíblicos  ligados as comunidades eclesiais de base e ao centro de estudos bíblicos, convidam a todos os interessados no tema do avanço da  democracia  em Sergipe e no Brasil,  para participar da Roda de Conversa  “Pelo fim do poder econômico nas eleições".

Será no dia 23 de Fevereiro (domingo), ás 9h30 no anexo da Igreja São Pio X, localizado na Av. Visconde de Maracaju, bairro 18 do Forte.

Para motivar e facilitar a conversa contaremos com a presença de Iran Barbosa, ex-deputado federal e atualmente vereador por Aracaju e Magal da Pastoral, ex-vereador de Aracaju e integrante de mesa de debates sobre o tema reforma politica, junto a pastorais e movimentos ligados a igreja católica

Iran Barbosa

Magal da Pastoral (em primeiro plano)

Para conquistar mais democracia e mais justiça social no Brasil, o  que parecia difícil, as lutas, a organização e as iniciativas de educação e comunicação popular tornaram  possíveis.
Fins da década de 1970 – Anistia e retorno dos exilados ao Brasil.
Meados da década de 1980 – Eleições diretas para a escolha de todos os ocupantes de cargos executivos e legislativos; Fim da censura; Liberdade de organização e registro para partidos de orientação comunista.
Meados dos anos 2000 – Conquista da lei contra a corrupção eleitoral e da lei da Ficha Limpa.
2013 – Impulsionado pelas manifestações de junho, é ampliada a corrente em  favor da reforma politica com financiamento público de campanha.
Quem quiser pode completar com outras lutas e conquistas..

Para aprofundar informações sobre o plebiscito, clique AQUI, 
AQUI
AQUI





---------------------------------------------------
A Biblia afirma que  há um tempo oportuno, propicio  e necessário para tudo.. (1)

Domingo (23/02), ás 9h30 é um tempo oportuno, propicio e necessário para ampliar o grito consciente da sociedade pela libertação das eleições do poder econômico, não apenas dos poderes considerados “legais”, assim como o poder econômico do crime organizado que comprovadamente já elegeu e continuará ampliando o numero de parlamentares e executivos ligados ao chamado poder paralelo, até o ponto em que chegaremos ao nível da atual Colômbia.

Tempo oportuno porque reunirá pessoas que não estão suficientemente informadas e mobilizadas a respeito da questão da Reforma Politica. Tempo  necessário  e propicio para  unir e a ampliar o cordão ou a corrente, afinal, não será suficiente apenas uma mobilização de cúpulas sindicais, de movimentos sociais, partidos políticos progressistas ou dos religiosos que ouvem, vêem e que descem para libertar o seu povo, conforme nos ensina  Jesus de Nazaré, reforçado pelas palavras e atitudes de Francisco de Assis e Francisco de Roma. (2)

Mesmo para quem não tem fé, o tempo é a chama que chama e clama. Para quem tem fé, Javé-DEUS,  senhor do tempo, Javé Deus da justiça e da misericórdia é a chama que chama e clama através das dores e  sofrimento da humanidade e do planeta terra.

Todos estão convidados, tragam amor e esperança, acima de tudo...

(1)    Eclesiastes, cap. 3
1Para tudo há um tempo, para cada coisa há um momento debaixo dos céus:
2tempo para nascer, e tempo para morrer; tempo para plantar, e tempo para arrancar o que foi plantado;
3tempo para matar, e tempo para sarar; tempo para demolir, e tempo para construir;
4tempo para chorar, e tempo para rir; tempo para gemer, e tempo para dançar;
5tempo para atirar pedras, e tempo para ajuntá-las; tempo para dar abraços, e tempo para apartar-se.
6Tempo para procurar, e tempo para perder; tempo para guardar, e tempo para jogar fora;
7tempo para rasgar, e tempo para costurar; tempo para calar, e tempo para falar;
8tempo para amar, e tempo para odiar; tempo para a guerra, e tempo para a paz.


(2) Êxodo 3:8-10

E desci para livrá-lo da mão dos egípcios e para fazê-lo subir do Egito para uma terra fértil e espaçosa, uma terra que mana leite e mel, lá onde habitam os cananeus, os hiteus, os amorreus, os ferezeus, os heveus e os jebuseus.
Agora, eis que os clamores dos israelitas chegaram até mim, e vi a opressão que lhes fazem os egípcios.
Vai, eu te envio ao faraó para tirar do Egito os israelitas, meu povo".


 

2 comentários:

O Pluralismo disse...

Estaremos lá e atentos ao debate. Participando, "brigando" - no bom sentindo - e, sonhando. Muitos e muitas só esperneiam na rua e nos papos informais. Reclamam de tudo e de todas (todos) as lideranças religiosas, políticas, etc, etc! Mais nada de contribuição. Essa roda de conversa cheira bem pelo bom odor da cidadania. Vamos lá gente! Soares, pe.

Professor Zezito disse...

É isso aí.... Falou tudo..
Para reforçar..

Acredito na Rapaziada
Gonzaguinha

Eu acredito é na rapaziada
Que segue em frente e segura o rojão
Eu ponho fé é na fé da moçada
Que não foge da fera e enfrenta o leão
Eu vou à luta com essa juventude
Que não corre da raia a troco de nada
Eu vou no bloco dessa mocidade
Que não tá na saudade e constrói
A manhã desejada

Aquele que sabe que é negro
o coro da gente
E segura a batida da vida o ano inteiro
Aquele que sabe o sufoco de um jogo tão duro
E apesar dos pesares ainda se orgulha de ser brasileiro
Aquele que sai da batalha
Entra no botequim, pede uma cerva gelada
E agita na mesa logo uma batucada
Aquele que manda o pagode
E sacode a poeira suada da luta e faz a brincadeira
Pois o resto é besteira
E nós estamos pelaí...

Eu acredito é na rapaziada
Que segue em frente e segura o rojão
Eu ponho fé é na fé da moçada
Que não foge da fera e enfrenta o leão
Eu vou á luta com essa juventude
Que não corre da raia a troco de nada
Eu vou no bloco dessa mocidade
Que não tá na saudade e constrói
A manhã desejada

Aquele que sabe que é negro
o coro da gente
E segura a batida da vida o ano inteiro
Aquele que sabe o sufoco de um jogo tão duro
E apesar dos pesares ainda se orgulha de ser brasileiro
Aquele que sai da batalha
Entra no botequim, pede uma cerva gelada
E agita na mesa logo uma batucada
Aquele que manda o pagode
E sacode a poeira suada da luta e faz a brincadeira
Pois o resto é besteira
E nós estamos pelaí...

Eu acredito é na rapaziada