VideoBar

Este conteúdo ainda não está disponível por conexões criptografadas.

sábado, 16 de abril de 2016

COMO A CULTURA DO BRASIL PROFUNDO PODE NOS AJUDAR NESTE MOMENTO DE LUTA CONTRA O GOLPE E EM FAVOR DA DEMOCRACIA?

foto: Midia Ninja

“quero dar um recado. um recado que me foi dado com muito carinho lá pelos povos da floresta. diga a eles, que dêem um passo atrás. porque são as forças da água, são as forças da natureza que estão reagindo contra eles.”
ref. Sônia Guajajara, Cultura pela Democracia, Rio de Janeio, 11/04/2016

A figura mitica de Lula evoca muito mais que símbolos , como o do politico “pai dos pobres”, popularizado em meados do século XX  na figura do ex-presidente   Getúlio Vargas. A figura mítica de Lula evoca símbolos ancestrais, tanto positivos, como negativos,  guardados no inconsciente coletivo ou àquilo que  Carl Jung define como arquétipo. 



No principio,  a figura negativa de Lula foi associada a um símbolo arcaico, construído na época colonial, baseado nas  estratégias de propaganda dos senhores da casa grande, em tentativas  de refrear o ímpeto de liberdade por parte dos  negros que buscassem  liderar ou se juntar a outros irmãos para se livrarem do jugo da escravidão.  Para manter a maioria dos escravos da senzala afastados  dos  “rebeldes” , estes foram pintados como violentos, sanguinários, desleais, ingratos, inimigos da fé de Nosso  Senhor Jesus Cristo, feiticeiros   e etc... 


Foram com símbolos semelhantes a estes,   que  Lula e seus companheiros (as)  foram pintados,   quando o movimento sindical no ABC começou a incomodar patrões e governantes,  a partir dos anos finais de 1970. Com a atualização,  os novos “rebeldes” foram pintados como subversivos, comunistas, agitadores , baderneiros, inimigos da familia e da paz social e etc..


Na busca de superar essa imagem negativa que o impediu por três vezes de conquistar  a presidência, Lula cunhou a partir da campanha vitoriosa de2002, a  expressão “Lulinha paz e amor”, inspirado no símbolo do  “brasileiro cordial”  e com base nisso, realizou  um governo pautado pela lógica da conciliação de classes, “ mãe dos ricos” e “pai dos pobres”, como d’antes nos tempos do presidente Getúlio Vargas.



Com isso, o governo  Lula conseguiu, com base nos próprios méritos e de  parcelas importantes da inteligência nacional, superar Getúlio Vargas como o melhor pai da nação, o que podemos definir como a síntese do pai dos pobre e da  mãe dos ricos.



Ocorre que tinha ou tem uma pedra no caminho, o sucesso  obtido com a ampliação do mercado interno de consumo  e com a ação bem sucedida na  conquista de novos mercados internacionais,  ficou mais  limitado  depois de alguns anos, por conta de mais uma crise do capitalismo internacional , esta última  com  inicio em 2008, assim como pelas pressões dos Estados Unidos  voltadas  para a queda do preço do barril do petróleo no sentido de  enfraquecer as economia emergentes dependentes, como Brasil e Venezuela. Redução dos preços do barril de petróleo,  inclusive por meio da  invasão direta ou indireta a alguns países do oriente médio “rebeldes”, possuidores de grandes reservas de petróleo.



No caso do Brasil , os interesses dos Estados Unidos também atuam nos bastidores,  para  retomar um maior controle sobre a nossa economia, em especial os poços do pré-sal. O pretexto mais forte da vez é o combate a “corrupção”. Em  1964 foi livrar o nosso país do comunismo. Nenhum dos dois são os motivos reais. Embora tenham conseguindo convencer muitos brasileiros disso .



Enquanto isso, mesmo no tempo da bonança, setores ligados ao grande capital internacional, aliado ao grande capital nacional, criaram estratégias de enfraquecimento do governo Lula, assim como dos outros governos esquerdistas da América Latina.



Dessa maneira, houve “grandes”  ações estratégicas tanto a luz do dia, como a criminalização de petistas dentro de um episódio de corrupção, o espetacularizado  “mensalão” , assim como “pequenas”,  nos subterrâneos das redes sociais,  com base na criação de “lendas politicas” como a de   Lula ser dono de uma das maiores fortunas do país e ter um filho que seria sócio majoritário  da OI e da Friboi, entre outras.





Lições disso tudo, Lula é resultado de uma construção positiva no imaginário coletivo nacional e  para ser derrotado faz-se necessário usar várias armas negativas  neste campo. Mesmo da forma mais vil.



Já o PT e Dilma Roussef  são construções  do racionalismo iluminista, porém mais  perigosos para as elites, quando associado a Lula , porque neste tempos pós-modernos,  a síntese do pensamento e práticas medievais com o pensamento e práticas modernas é  quem está dando o tom, para o bem e para o mal.  Não custa lembrar que um dos mais importantes lideres politicos e religiosos do bem, em  nosso tempo, escolheu o nome de Francisco. Assim também como tomou vulto nos últimos anos, um  novo enfrentamento do ocidente cristão contra o oriente muçulmano, tendo a idéia de Deus na frente e o interesse em tomar os poços de  petróleo como pano de  fundo ou disputa cultural como pretexto aparente para esconder os reais interesses econômicos.



E essa compreensão ou essas sínteses que mais assustam as elites, por perceberem o quando a união do que o  brasil arcaico e o brasil moderno tem de melhor, dentro de um propósito virtuoso, contibui para tornar este país  um bom lugar para  as maiorias, e isso de forma gradativa.  O X da  questão, e estas elites perceberam, é que a partir de Lula e Dilma, o padrão de consciência e  exigência  só tendem  a crescer , e com isso, a necessidade de melhor repartir o bolo da  riqueza.



Para distrair ou afastar os pobres em ascensão, nada melhor que trabalhar na acusação com poucas  provas e pouca  consistência , a Lula e ao PT,  fortalecendo   símbolos arquétipos  negativos, também ancestrais e guardados em nosso inconsciente coletivo, com o intuito de tirar o foco das verdadeiras causas e soluções para os nossos problemas. São símbolo como ladrão, impostor, vigarista, charlatão, bom de lábia  e etc.. O que as elites sabem ser,  com maestria e dissimulação, desde o tempo dos “homens bons” e dos “pais dos pobres” dos engenhos coloniais e nas fazendas dos tempos do império e da república velha. Detalhe “pai dos pobres” é coisa das antigas, não foi Getúlio e nem Lula quem inventou.



A guisa de conclusão,  a questão do sucesso do enfrentamento dessa guerra ideológica e midiática, perpretada pelas elites, passa por essa compreensão. Além de ser amparada  na melhoria continua dos indicadores econômicos e sociais, precisamos conhecer e valorizar os aspectos ligados as tradições, aos costumes, as crenças, aos velhos e novos hábitos comportamentais, ou seja, a dimensão da cultura nesta luta, não pode  continuar sendo desconsiderada ou colocada em segundo plano.


P.S.: Ao afirmar que as  acusações ao PT e a Lula são com poucas provas e com pouca consistência, não quero com isso negar, que algumas pessoas do partido não tenham  se envolvido em  situações inconvenientes  para um partido que sempre denunciou e lutou contra a corrupção, o que quero dizer é que os erros foram encontrados, as pessoas punidas e a dimensão dos desvios, são bem mais  insignificantes se comparado com a de outros partidos.


Por outro lado, em termos numéricos a quantidade de petistas envolvidos com desvio de dinheiro é menor.


Há também que destacar o desnível do tratamento dispensado pela imprensa e pelo judiciário tratando-se de situações envolvendo  dirigentes ou políticos com mandato do PT e dos outros partidos.


Não á toa, o imbróglio criado nestes últimos dias com a condução coercitiva e com os grampos da conversa de Lula com a presidente Dilma Roussef, trata-se da tentativa desesperada de comprovar as mentiras disseminadas no sub mundo da internet há tempo atrás ou dar alguma aparência de verdade a essas mentiras.

Adendo
Para as elites deste país, que vive as custas da exploração e da ignorância da maioria da população, O Cunha cumpre o papel de fazer o serviço sujo. Como acontece com os pistoleiros de aluguel que são contratados para matar quem se colocou ou se coloca, como obstáculo a sanha de exploração que existiu e existe em nosso país.
Alguns outros dão a cobertura "legal" e no campo da (des)informação. A novidade é que isso acontecia somente nos cafundós ou nos grotões. Todavia, como as forças que combatem a exploração e a ignorância galgaram espaços maior de poder, além do que era esperado ou previsto pelas velhas elites brazucas, assim, a "pistolagem" também teve que aparecer em um plano mais evidente.
Isso cumpre o desejo de Cazuza, quando exclamou em uma canção. "Brasil, mostra a sua cara". A cara mais feia, a cara mais cruel, a mais insana e desleal.
Cunha é a encarnação real do personagem Antônio das Mortes, de Deus e o Diabo na Terra do do Sol.
Porém, acreditamos que poderemos começar a ter um final diferente do que aconteceu em muitos momentos da nossa história e no filme do Gláuber Rocha.



---------------------------------------------------
O primeiro texto acima  começou a ser escrito por volta do dia 30 de maio e concluído em  16 de abril. O adendo foi escrito em 16 de abril. Nestes dias,  o papel da arte e dos artistas nas mobilizações pró-democracia, foram evoluindo em uma espiral crescente e tem tido papel fundamental na conquista de uma posição mais favorável para derrotarmos o golpe em curso. Enfrentando assim , o poderio midiático da rede globo e outros veiculos de informação que tiveram, tem e terão papel fundamental, na tentativa de minar as base subjetivas de resistência da nossa população.
Neste sentido, reiteramos e apelamos a esquerda que detém o controle de alguns espaços de poder politico e econômico, dentro e fora do estado. É importante considerar o papel estratégico da cultura e da comunicação, no desenvolvimento da democracia politica, econômica e social. Portanto, faz-se necessário dedicarmos mais tempo, atenção e recursos financeiros, para a arte e a cultura que labuta em favor da maioria pobre ou das minorias marginalizadas e vulneráveis em nosso país.

---------------------------------------------
Quando perguntado por alunos do ensino médio sobre se acredito nos mitos que povoam o nosso imaginário coletivo, notadamente àqueles ligados as nossas tradições ancestrais, respondo que prefiro não ficar preso a dualidade do acreditar  e do não acreditar, respondo que gosto e valorizo os mitos e outros conhecimentos tradicionais porque GOSTO de ouvir, em razão de que me divirto, aprendo e me inspiro. Destaco, o quanto os mitos e outros conhecimentos ligados a cultura popular, religiosa ou não, são fontes de inspiração para artistas, arte-educadores e escritores, pesquisadores e cientistas. 
 

Zezito de Oliveira - Educador e Produtor Cultural de iniciativas de base comunitária.


Dançando ciranda com Jesus de Nazaré
Jogando capoeira em uma escola da periferia de Aracaju
Brincando com o grupo São João na Roça de Japaratuba-SE.
Admirado com a perfomance dançante de meninos e meninas da periferia, dançando Brasileirinho e Brasil mostra a sua cara!!
Nas estradas brasileiras com a Caravana Arco Iris por La Paz
Saboreando um delicioso pato no tucupi
celebrando o natal com o presépio alternativo no Complexo Gonzagão em Aracaju

Admirando a perfomance teatral de jovens e adolescentes do Conjunto E. Gomes de São Cristóvão.

Percorrendo trilhas na Amazônia (PA). Lugar onde mora Oxóssi, o Curupira, a Caipora e a Matinta Perê.
Visitando ilhas na Amazônia (PA)
Aplaudindo D. Hélder Câmara.
Abaixo, em um córrego na cidade de Pirambu (SE.Lugar onde mora a Iara e a Oxum.

Nenhum comentário: