VideoBar

Este conteúdo ainda não está disponível por conexões criptografadas.

domingo, 21 de fevereiro de 2016

VAMOS NOS ENCONTRAR PARA ASSISTIR E CONVERSAR SOBRE UM FILME? OU VAMOS FAZER UM FILME?



Roda de conversa realizada após a 1ª sessão que inaugurou o Cine-Realidade, quando foi  exibido o filme "Uma onda no ar", cujo tema principal são as rádios comunitários. Ao centro,  o radialista Renato Nogueira e o educador e produtor cultural Zezito de Oliveira, autor do texto em tela.
Nestes tempos vorazes, um filme pode ser assistido de diversas maneiras ou em vários suportes, cada um destes, reservando a quem faz, uma experiência diferenciada de prazer sensorial, estético e intelectual.


Os suportes podem ser o projetor digital dos cinemas dos shoppings ou do  cinema de rua, o DVD ou Blue Ray, a internet ou o celular.


As maneiras podem ser assistir no shopping com todo o aparato de conforto e serviços oferecidos tanto pelo cinema, como pelas lojas do local. Os cinemas de rua, com seus serviços e  instalações simples e com a sua programação destinada a um público mais escolarizado e/ou com exigências mais voltadas para filmes de autor e/ou com abordagens mais reflexivas e  com características estéticas mais inovadoras, porém sem grande pirotecnia.


Outra maneira bem importante, mas que carece de mais apoio são os cineclubes. Os cineclubes representam um espaço fundamental para a formação de uma plateia  com um nível  de conhecimentos acima da média, acerca das diversas  histórias que nos fazem pensar e ser do jeito que somos, além de aspectos importantes sobre a história e a linguagem audiovisual. Tudo isso, fazendo uma  diferença substancial na vida de quem incorpora este hábito, possibilitando que alguns possam fazer parte do mercado ligado a cadeia produtiva do audiovisual.


O cineclube possibilita também um espaço de interação e socialização,  que julgamos superior as outras maneiras de assistir o audiovisual, sem negar o mérito  o valor das outras maneiras ou formas. Isso acontece por causa do momento inicial de apresentação do filme e do momento da roda de conversa após a exibição.


Como uma das possibilidades de resposta a uma questão levantada por uma música de sucesso regravada por Frank Aguiar , que reclamava “as pessoas não se falam mais”,  o cineclube pode ser um espaço para que as pessoas se encontrem  para conversar, para falarem mais. E melhor ainda, para falarem sobre uma porção de experiências humanas apresentadas por uma variedade de obras de audiovisual, experiências humanas de sucesso, derrotas, vitórias, perdas, alegria, tristeza, solidão, coletivas e etc..


Mesmo assim, podemos utilizar as possibilidade de assistir os filmes produzidos por outros ou por nós via internet, sozinhos (as) ou acompanhados (as).  Afinal, estes tempos vorazes, também são tempos em que podemos assumir várias opções e formas de ser e estar no mundo. No campo da produção e da circulação do audiovisual, tanto os avanços e barateamento do uso da tecnologia tornaram isso possível, assim como os novos modelos de negócios.


Foi pensando nisso, que estendemos o Cine Realidade para a internet. Mesmo que a presença física e a experiência coletiva de assistir um filme,  não deixe de ser a nossa prioridade.


Ainda temos mais o que conversar, mas fica para a segunda parte.


Enquanto isso, encerraremos as sessões de férias de verão com um documentário sobre a Juventude do ABCD paulista,  produzido pela então produtora TV dos Trabalhadores (TVT), no  ano de 1999. Uma obra especial para encerrar com chave de ouro a programação de férias.  Quem é adolescente/jovem e/ou tem interesse em temas ligados a essa faixa de idade, não sabe o que estará perdendo, caso não faça um esforço para estar presente.

Será na próxima sexta-feira, 26/02, das 15 às 17h30. no auditório/refeitório da Escola Estadual Júlia Teles, no Conj. Jardim. Quem for leve salgados, doces, frutas, sucos ou refrigerantes,  para partilhar na hora do lanche comunitário.


Mesmo que uma edição parcial e com entrevistas na atualidades sobre o  documentário “ABCD jovens”, possa ser assistido pela internet, através de link que consta no post Cine Realidade na internet- 1ª sessão.


Já para quem também quer fazer um filme, recomendamos seguir os passos descritos no post abaixo:

MAIS ALEGRIA NO JARDIM EM 2016. RETORNAM AS OFICINAS ARTISTICAS DA AÇÃO CULTURAL/PONTO DE CULTURA JUVENTUDE E CIDADANIA.

ASSISTA TAMBÉM:

 CINE REALIDADE NA INTERNET. 1ª Sessão

Cine Realidade na internet - 2ª Sessão. Acabou a Paz - Isto aqui vai virar o Chile - Escolas ocupadas em São Paulo

 

Nenhum comentário: