CANAL DA AÇÃO CULTURAL

Loading...

sexta-feira, 17 de maio de 2013

'Pais e filhos', da Legião Urbana, ganha curta exibido em Cannes


16/05/2013 13h49 - Atualizado em 17/05/2013 08h34

Ludmila Dayer protagoniza 'Parents', baseado na música de Renato Russo.
Ao G1, diretor conta que morte do pai o impulsionou a fazer primeiro filme.

Letícia Mendes Do G1, em São Paulo

Mesmo com pouco espaço para o cinema brasileiro, que fica sem concorrer a prêmios neste ano, o Festival de Cannes, que começou na quarta (15) e vai até 26 de maio, conta com produções do Brasil nas sessões paralelas.
Além dos curtas "Pátio", de Aly Muritiba, na Semana da Crítica, e "Pouco mais de um mês", de André Novais Oliveira, na Quinzena dos Realizadores, o filme "Parents", baseado na canção "Pais e filhos", da Legião Urbana, será exibido diariamente na mostra Short Film Corner. (Assista ao trailer ao lado)
Dirigido pelo mineiro Thales Corrêa, de 24 anos, o curta foi produzido nos Estados Unidos, onde ele mora há três anos. Em entrevista ao G1, o cineasta estreante, que estuda em Los Angeles, conta que a ideia surgiu a partir de um "transe" que teve em janeiro do ano passado. "Estava com meus amigos em um bar da minha cidade, Campo Belo, quando 'Pais e filhos' começou a tocar e o filme inteiro se formou na minha cabeça", diz.
O diretor Thales Corrêa ao lado da atriz Ludmila Dayer, no set de 'Parents' (Foto: Divulgação)O diretor Thales Corrêa ao lado da atriz Ludmila
Dayer, no set de 'Parents' (Foto: Divulgação)
Cinco meses depois, ao receber a notícia de que seu pai havia falecido, a letra da canção de Renato Russo voltou a fazer parte de sua vida. "Eu estava trabalhando muito nos EUA e meu pai adiava a viagem para cá por causa da plantação de café dele. Aconteceu de repente. Ele estava no sofá e o coração parou. E aquele trecho 'é preciso amar as pessoas como se não houvesse amanhã' fez todo o sentido", afirma.
Thales, que já tentou ser ator em SP e no Rio, decidiu que seu lugar era atrás das câmeras. “Eu queria palpitar nas produções que não gostava. Poderia fazer algo muito melhor do que aquilo que estava atuando”, diz. Ele fala que a morte de seu pai o impulsionou a tomar a iniciativa de dirigir seu próprio filme – ideia que o amedrontava. “Você é muito julgado, desde o início do roteiro até quando passa nos cinemas, por ser o responsável”.
Por meio de amigos em comum, o estudante conheceu Ludmila Dayer em Los Angeles. No filme, a atriz interpreta uma mulher de classe média que não tem um bom relacionamento com sua filha adolescente. "Jamais achei que ela fosse aceitar o papel por ser um curta e por ser meu primeiro projeto", revela.
Thales conta que sempre foi muito fã do trabalho de Ludmila e que escreveu o roteiro já pensando nela. "Desde que a vi como a Joana, de 'Malhação', gosto muito dela. Quando a conheci, parecia que já erámos amigos desde aquela época".
Sobre seu curta ser lançado na mesma época que os longas "Somos tão jovens", de Antônio Carlos da Fontoura, e "Faroeste caboclo", de René Sampaio, Thales afirma que foi uma "coincidência bacana". "Mas não quero ter o rótulo de que estou pegando carona em uma modinha", completa.
Ludmila Dayer estrela o curta-metragem 'Parents', dirigido por Thales Corrêa (Foto: Divulgação)

Nenhum comentário: