VideoBar

Este conteúdo ainda não está disponível por conexões criptografadas.

terça-feira, 28 de abril de 2015

Afeto, resgate da memória local, arte&cultura, esporte e economia solidária.Projeto sócio-cultural no pov. São Braz aponta saídas para a (s) juventudes das periferias.

Acima Izabela Bispo e Salvador Filho


Projeto Pescando Memórias no Povoado São Brás em N.S.Socorro- SE. Projeto encabeçado por Givanildo e Izabela Bispo Santana. Resgata a memória cultural e intensifica a reafirmação de identidade do povoado. Nesse final de semana (25/04), Luciana Oliveira teceu comentários sobre os cines e tivemos a presença de várias pessoas ligadas ao mundo do esporte, da cultura e do lazer, a exemplo do professor Gilson da Sec. Estadual de Esporte e Turismo e do professor Zezito de Oliveira, um praticante e estudioso da área cultural e de ações concretas para o despertar da cultura. Lá se apresentaram grupos de Rap, Hip Hop, de BMX, de Skate, Capoeira, Feirinha da Comunidade, Grafitagem. E também esteve presente ao evento, o Gringo do Rio de Janeiro que é representante da CUFA, Central Única das Favelas, dos Direitos Humanos. O evento teve o apoio da Prefeitura de N.S.Socorro, Pref. Fábio Henrique. (Salvador Filho)

A novidade é que o Brasil não é só litoral
É muito mais, é muito mais que qualquer zona sul
Tem gente boa espalhada por esse Brasil
Que vai fazer desse lugar um bom país 

 Fotos- Zezito de Oliveira

Reportagem de televisão.

Projeto ‘Pescando Memórias’ conta a história de Nossa Senhora do Socorro

Ficar de frente para o mar, de costas pro Brasil
Não vai fazer desse lugar um bom país

As meninas integrantes do Grupo de dança moderna do Ponto de Cultura Juventude e Cidadania e do projeto Rap Identidade Cultural também se fizeram presentes.
Aqui vive um povo que merece mais respeito
Sabe, belo é o povo como é belo todo amor
Aqui vive um povo que é mar e que é rio
E seu destino é um dia se juntar








O canto mais belo será sempre mais sincero
Sabe, tudo quanto é belo será sempre de espantar



Aqui vive um povo que cultiva a qualidade
Ser mais sábio que quem o quer governar



Uma notícia está chegando lá do Maranhão
Não deu no rádio, no jornal ou na televisão
Veio no vento que soprava lá no litoral
De Fortaleza, de Recife e de Natal
A boa nova foi ouvida em Belém, Manaus,
João Pessoa, Teresina e Aracaju
E lá do norte foi descendo pro Brasil central
Chegou em Minas, já bateu bem lá no sul

Os companheiros e aprendizes do projeto  Rap e Identidade Cultural, do  conjunto Jardim, se fizeram presentes,  participando das apresentações de RAP ( Filosofia de Loucos, Relato Verdadeiro e Resistentes da Favela ). 

 Assista a duas gravações de Relato Verdadeiro


  


Assista a uma gravação de Resistentes da Favela.

 














Penso como fundamental, convencer o chefe do poder executivo do municipio de Socorro acerca da necessidade de investimento em ações estruturantes no campo da arte e da cultura, além das ações pontuais. Conversei com Givanildo e com Isabela Bispo Santana sobre a questão do impacto do uso de drogas e do turismo predatório, em razão dos investimentos nas obras de urbanização e construção da orla e eles me disseram que ainda não há um impacto negativo preocupante, porém lembrei a eles, das possibilidades reais de isso acontecer, daí porque a necessidade de serem pensadas estratégias de ações que possam prevenir a minimização destes impactos negativos. Reconheço que o trabalho de urbanização e da construção da orla, está bem feito. Pelo que fiquei sabendo, parceria do governo do estado com a prefeitura, porém, é preciso fortalecer cada vez mais os processos de empoderamento e sentido de pertencimentos da população residente. Ainda há tempo e com isso contribuir para que outras comunidades possam ser beneficiadas com os bons resultados das ações desenvolvidas no povoado São Braz. Acredito que isso seja fundamental para o municipio de Socorro, cujos indicadores de violência envolvendo a juventude negra e periférica é muito preocupante, conforme as estatísticas oficiais. Também é um municipio com indicadores muito ruins no campo das políticas culturais em prol das crianças e jovens. (Zezito de Oliveira)

Nenhum comentário: